(1) A Bisavó Galáxia Apresenta-Se

(1) A Bisavó Galáxia Apresenta-Se
Antes de te apresentar à tartaruga, que é a minha bisneta mais sábia, eu devo-me apresentar a mim mesma. Eu sou a Bisavó Galáxia. Tu já me conheces, mas nem todos me conhecem como sendo sua bisavó. Sim, eu sou a galáxia, e sou a bisavó de tudo o que existe e podes vir a conhecer.

Com os teus olhos, podes conhecer-me à noite e ver quão grande e antiga é a minha propagação de estrelas, que como uma faixa empoeirada de luz envolve a tua mente.

Estas estrelas são a minha tapeçaria, que é a tecelagem de tempo. Cada estrela é o centro de seu próprio tempo. Cada planeta gira no seu tempo em torno de uma estrela. Muitas vezes há pelo menos uma lua a girar no seu próprio tempo em torno de um planeta.

O tempo da Lua sincroniza-se com o tempo do planeta. O tempo do planeta sincroniza-se com o tempo da sua estrela. O tempo da estrela sincroniza-se com o meu batimento cardíaco, o Hunab Ku, o centro da galáxia.

Hunab Ku guarda o tempo com tudo, e tudo guarda o tempo com Hunab Ku. O meu batimento cardíaco de Hunab Ku é a medida de todas as coisas conhecidas através do tempo. O que é que não se pode conhecer através do tempo? É por isso que a bisavó galáxia é tão paciente. Ela só tem tempo para brincar. O tempo de brincadeira dela é também o nosso tempo de brincadeira. É por isso que a Bisavó Galáxia canta:

Hunab Ku Hunab Ku
o tempo é o centro pelo qual todos nós passamos
Hunab Ku Hunab Ku
Tempo sou eu, e tempo és tu
Hunab Ku Hunab Ku
Todos somos o centro pelo qual o tempo passa
as estrelas que vês são canções no meu cabelo
os planetas são joias atadas nas braceletes de ar
no centro do tempo há uma raiz que cresce
e através do tempo se formarão os 20 dedos das mãos e dos pés
Hunab Ku Hunab Ku
Agora o tempo é para mim e para ti