(10) A Tartaruga e A Arvore Falam Do Tempo e Da Mente

(10) A Tartaruga e A Arvore Falam Do Tempo e Da Mente
A Bisavó galáxia diz, o tempo e a mente não se podem ver ou saborear.. A mente tem conhecimento. O tempo é o que flui. Sem conheceres a tua mente e sem estar no “agora”, a tua vida pode ser um terrível desperdício! Minha neta, Terra, sabe isso muito bem. A escolha dos seus Guardiães foi sábia. Quem melhor do que a tartaruga e a árvore sabe que o tempo só existe para a mente ser! Ouvi novamente a história da tartaruga e da árvore!

Depois da mãe Terra ter escolhido os dois Guardiães dos dois reinos vivos da biosfera, a tartaruga saiu da água para descansar na poderosa base do alto tronco da árvore.

Tanto a tartaruga como a árvore sabiam que eles deveriam ter um Conselho. Eles queriam estar seguros, que ambos recebiam os seus sinais directamente. Em especial queriam saber se estavam nisto juntos para sempre.

Estendendo a sua sábia e antiga cabeça da sua concha e olhando com admiração os ramos da árvore que se estendem durante todo o tempo para o céu, a bisavó tartaruga falou:
viver no tempo é uma coisa, árvore. Saber o tempo em que estás vivendo é outra coisa diferente. O que sabes tu?

A bisavó árvore olhou para a tartaruga. O que sei, está escondido pelos meus anéis. Mas sou parecida, tartaruga. Guardando o tempo no meu tronco, mantenho o meu tronco, entretanto, o tempo vive em mim e duro muito tempo. Também contigo, assim é, tartaruga. Muitos círculos de treze luas vêm e vão. Muitos anéis se expandem no meu tronco, e as minhas raízes mais profundamente se estendem pela Terra, e erguendo os meus ramos mais longe no céu. Viver muito tempo, durante muitas estações de mudança, o que está lá não sei? Tal como tu, tartaruga, permaneço verde para sempre.

A tartaruga retorquiu, eu entendo, árvore. Como a minha concha, o teu tronco é especial. Através do centro do teu tronco conta-se os anos, no entanto, há algo que permanece igual, o que é?

A árvore respondeu, a minha natureza é calma. Esta calma é o centro do meu tronco. O meu tronco é o meu eixo. Este eixo mantém-me direito. Mas tens razão, tartaruga, o que é esta quietude dentro de mim?

Uma vez eu fui uma semente. O tempo sonhou uma nova forma para esta. E dessa semente, cresci eu para a luz. Mas não te sei dizer o que mantém meu tronco recto e alto. Será o sonho original de tempo?

A Tartaruga sorriu e disse: a minha natureza é constante. Eu vim de um ovo. Uma nova forma que o tempo sonhou para o ovo. Desse sonho, arrastei-me para fora na lama quente. Minha concha faz-me forte e resistente como tu. Quando preciso, movo-me lentamente. Ninguém se pode mover mais rápido do que uma volta por dia, de qualquer forma a minha estabilidade é suficiente para mim.

Não só carrego a natureza do tempo nas minhas costas, como, no tempo, nada me podem retirar dos meus círculos planetários. Eu entendo, porque é que a mãe Terra nos nomeou como Guardiães da biosfera. Com nossas simples formas podemos suportar qualquer coisa. Somos tranquilos, mas imbatíveis! Acho que o que mantém o teu centro em linha recta não é nada mais do que a mente.

A Árvore respondeu, Tartaruga, és sábia! Conta-me mais. O que queres dizer com “a mente”?

A Tartaruga riu silenciosamente. Árvore, ninguém sabe sobre a mente, até que alguém lhe mostre. A mente é o centro de Hunab Ku. Hunab Ku está em cada sonho de vida. Mente é o que tu és. Ninguém pode tocá-la ou tirá-la. Ninguém te a pode dar ou te dizer o que é, ou o que não é. A mente é como o tempo não tem gosto nem cheiro. A menos que saibas que tens consciência, que conhecimento podes ter?

Então a árvore riu, entendo tartaruga. A consciência está sempre mantendo o meu centro. Tenho estado, o tempo todo, sempre consciente. Ou a minha mente tem estado em mim! É o que me mantém em pé. É ela que faz o anel de tempo cada treze luas. É o que eu cultivo através minha consciência. E quanto mais consciente me tornar, mais eu posso fazer e ser!

A árvore triunfante, cresceu mais alto do que nunca, raspando as nuvens no céu.

A tartaruga parou por um longo tempo, a cabeça inclinada para cima até ao distante topo da árvore. Perante a incrível altura da árvore, a tartaruga sentiu-se pequena. A Árvore, olhando para baixo para a tartaruga sussurrou e o vento delicadamente soprou suas folhas.

A Árvore disse à tartaruga: meu tronco inferior e raízes serão sempre um lugar para tu descansares e pensares. Se o sol for muito quente durante o dia, os meus galhos frondosos dar-te-ão sombra.

Todos os pensamentos que tiver, vou partilhá-los com todas as outras árvores, já que nós árvores somos todas uma árvore. A propósito, tartaruga, já que por aqui andas, há mais tempo que eu, o que pensas, o que viste, o que sabes tu?

A Tartaruga pensou um pouco e respondeu à árvore:

Tu és um bom desafio para mim, árvore. Levarei um pouco do teu silêncio no meu centro, onde quer que vá. O meu movimento é como o tempo, assim como a tua calma está para a tua mente. O Tempo é constante, a mente também o é. A Mente precisa de silêncio para entender, o Tempo precisa de equilíbrio para andar.


Ser firme como uma tartaruga

ser tal como uma árvore
a inocência é o equilíbrio
entre quietude e a firmeza
Fica na tua inocência
cada momento do tempo
teu conhecimento vai virar
tua firmeza brilhará

 

Depois da tartaruga ter cantado a sua canção, um vento forte levantou-se, fazendo a árvore curvar e agitar-se. Quando o vento parou, a árvore pensou por um momento e disse: tartaruga, aquele vento era muito forte. Mas no meu centro, minha mente permanece firme. Agora posso dizer o que eu penso:


Tranquilidade é para aprender

mantém a tua tranquilidade
e o anel do tempo
conhecerás
Quando conheceres o anel do tempo
poderás saber todas as coisas
sabendo todas as coisas
podes estender as raízes de tua mente
profundamente no teu corpo
e os ramos de tua mente
até ao céu
dos mistérios e sonhos
Este é o poder da mente conhecido pela árvore
Com minha consciência centrada
guardo o tempo
um anel por ano para a mãe Terra
um anel por ano para renovar nosso nascimento
A verdade, tartaruga, é que
no meu silêncio, eu conheço-te!

 

Quando a árvore terminou, a tartaruga manteve-se na base do tronco da árvore por muito tempo.

Depois de muitas luas, a tartaruga olhou para a árvore e disse: Agora, eu vou árvore. Finalmente entendemo-nos uma à outra. Vamos encontrar muitas maneiras de cooperar no tempo da Nova Era. Permanecendo constantes e serenas capazes de durar até ao fim da Nova Era. Seremos capazes de completar as nossas tarefas para a biosfera sagrada da mãe Terra! Manteremos o tempo da sagrada Terra dentro de nós mesmas, não importa o que aconteça!

Árvore, estes são os meus pensamentos. Isto é o que eu aprendi contigo, e isto é o que eu tenho para partilhar contigo antes de ir:


Tranquilidade é saber que a mente é tudo

Se eu estou infeliz é porque
minha mente não está tranquila
pensamentos negativos minha mente turvam
pensamentos positivos minha mente tranquilizam
Quando minha mente está tranquila
Mesmo sem saber, dou e recebo

Quietude me mantém equilibrada
Com equilíbrio movemo-nos no tempo

Todas as criaturas do reino animal
se movem no tempo
assim como a Terra se move no seu próprio tempo

Minha tranquilidade é para navegar
Quando estou equilibrada com o tempo
meu caminho sempre me leva
para onde eu vou

Árvore, para onde viajar, através de terra e mar
tua amizade estará constantemente comigo
Sê quem és, o tempo é teu para saber
Mantém-te equilibrada no caminho, e tudo fluirá

 

Então, a tartaruga deslizou silenciosamente para a corrente. A Árvore sonhando com a cabeça na lua, acenou.

Tudo estava bem na biosfera.