(13) A Tartaruga e A Árvore No Fim Do Tempo Do Novo Começo

(13) A Tartaruga e A Árvore No Fim Do Tempo Do Novo Começo
Bisavó Galáxia diz, a história do espírito nunca acaba, o tempo não tem início nem fim. Somente no tempo do Novo Começo as coisas começam ou terminam. No reino infinito, no tempo do sonho, a tartaruga e a árvore permanecem perto uma da outra.

Através do tempo do sonho e dos seus radiantes corpos, a tartaruga e a árvore assistiram e entenderam, com amor incondicional, o desdobramento do fluxo da Novo Começo da Terra, o manto biosférico, a costa mais distante do tempo Terra. E isto é o que viram:

Muitas gerações da Terra vieram e foram. Continentes subiram e desceram. Grandes períodos de céus em chamas vulcânicas seguiram-se igualmente a grandes períodos de gelo e deslocamentos do fundo do mar.

Cada grande mudança experimentada pela biosfera apenas reforça o poder do tempo da Terra. Apesar de todas as mudanças, a primeira tartaruga e árvore viram que as gerações de tartarugas e árvores se mantiveram firmes. O dom da primeira tartaruga e da primeira árvore foi transmitido a todas as gerações posteriores de tartarugas e árvores de uma geração para outra.

A tartaruga e a árvore assistiram em silêncio enquanto os dinossauros vieram para dominar a biosfera. Testemunharam, como o tempo reorganizou a biosfera quando o poder dos dinossauros se tornou tão grande que era tudo unilateral. Nenhuns outros seres tinham qualquer chance perante os dinossauros. O conhecimento do tempo da tartaruga e da árvore tornou-se tão profundo que o cataclismo que destruiu os dinossauros nada fez à tartaruga e à árvore.

Apesar das terríveis chuvas de meteoros, cometas e das rápidas mudanças climáticas, as tartarugas sobreviveram nas suas conchas, as sementes e os grandes sistemas de raiz das árvores sempre voltando cada vez mais gloriosos. A forma da tartaruga permaneceu constante no tempo. Cada árvore que surgiu a partir das cinzas de velha árvore, surgiu, no tempo, com a sua forma imutável.

Por causa do compromisso da tartaruga e da árvore como guardiães da Terra, a quantidade da vida na biosfera permanece constante. Onde uma vez houve dinossauros, novos seres peludas de sangue quente proliferaram. Estes são todos os mamíferos. Árvore também adoptou outros tipos, e grandes florestas cresceram cujas folhas caem e mudam todos os anos.

Há milhões de anos, através dos intermináveis anéis das árvores, a árvore e a tartaruga sentaram-se unindo seus espíritos no tempo do sonho. Então o fim do tempo do Novo Começo aproximou-se.

A Terra esfriou. Grandes florestas varreram majestosamente a vasta montanha e, grandes faixas e extensões da Terra foram mosqueadas com lagos e regadas por grandes sistemas de rios. Lá, entre a solidez da gelada idade dos glaciares, a última geração das crianças agitadas, possuíam conhecimento, desconhecido dos outros seres do tempo. Eles possuíam o conhecimento do fogo. Que outros poderes poderiam eles ter?

A Tartaruga falou primeiro: devemos estar prontos para a última geração da mãe Terra, crianças, temos de aprender mais e, preparar os nossos clãs de árvores e tartarugas para o fim do começo da Nova Era e para a última geração das crianças da Terra.

A Árvore disse que devemos apanhar a viagem do nosso tempo do sonho. Tartaruga deves ir para a Lua para que ela alimente de magia a tartaruga, mãe de todas as tartarugas. Tenho que ir ao sol, pois é o sol que alimenta o espírito da árvore, mãe de todas as árvores.

Assim, deixando os seus brilhantes lugares no tempo do sonho, a tartaruga foi para a lua, e a árvore viajou para o sol.