Descrição e Natureza do Problema

I. Critica

Descrição e Natureza do Problema

  1. pacal votanEm toda a civilização e  pensamento modernos, há um problema dominante, com tudo incluído e em constante expansão: alienação da humanidade relativamente à natureza. Não sendo capaz de resolver este problema, nem capaz de pensar de nenhum outro modo, senão pelos meios pelos quais este problema surgiu, ou seja, através da ciência e tecnologia modernas, cresce, a cada dia,  a esperança para um futuro planetário positivo.
  2. Condicionado ao longo de muitas gerações por uma linguagem  que auto fortalece e postula uma cosmovisão inquestionável de espaço e matéria, só de pensar, na ideia que o problema da alienação da humanidade com a natureza poderia ser seriamente abordado por qualquer outro método que não o tecno-científico moderno, é tratada como ridícula ou como uma ameaça. Por isso, a hierarquia invisível da ciência forma um sacerdócio cujo próspero interesse está cada vez mais atolado na proteção e promoção de seu próprio sistema e, portanto, assemelha-se cada vez mais aos antigos sacerdócios do passado, cuja existência se tornou uma barreira para a verdade.
  3. O cerne da questão da ciência moderna e o dilema de uma ordem social perante a probabilidade da ordem natural é basearem-se exclusivamente em investigações de espaço e matéria e a visão concorrente e consequente de que o tempo é uma função de espaço; e que, enquanto o espaço como uma descrição de matéria é da Terceira Dimensão, o tempo é uma dimensão “menor”, da Quarta Dimensão.
    No entanto, mesmo nas áreas de pesquisa experimental que falam de um de espaço-tempo continuo, não há nenhum entendimento claramente acordado sobre a natureza do tempo, nem há uma descrição de tempo além de termos, teorias e matemática do espaço que é da terceira dimensão. Isso aplica-se até mesmo para as geometrias mais descontínuas e não-euclidianas, ou seja, Riemann, a teoria do caos, etc e outros que são, no entanto, todas elas, descrições derivadas de considerações do espaço.
  4. Por um lado, a confusão sobre o tempo e a Quarta Dimensão resulta  da inadequação do uso de medições e instrumentação projectada para descrever o espaço e matéria e a questão de medir e definir o tempo e a Quarta Dimensão; E, por outro lado, esta confusão é a consequência da linguagem auto reforçada da ciência do espaço tridimensional que, ao estar sujeita às suas próprias normas culturais, mentais, limitativas e inquestionáveis, fica profundamente inibida na sua capacidade de formular as perguntas certas ou abordar a questão do tempo e da Quarta Dimensão de forma genuína e fresca. A noção de que o tempo e a Quarta Dimensão podem possuir suas próprias qualidades intrínsecas, matemática e epistemologia, para além da ciência e da matemática do espaço, é totalmente inadmissível para a ciência moderna. Na verdade, tal admissão significaria o fim da ciência, como nós agora a conhecemos
  5. Um outro factor que limita a compreensão da ciência moderna é a sua tendência para o critério entrópico de pesquisa, resultando em micro-campos cada vez mais abstratos e herméticos, cada um com sua própria linguagem e terminologia.
    A partir deste factor surgem duas consequências adicionais. A primeira é uma crescente falta de cruzamento de comunicação que, sem nenhum princípio de ordenação sistemático e abrangente, cria um esmagador dilúvio de informações cuja utilidade diminui proporcionalmente à sua quantidade e falta de compreensão total.
    A segunda é a proliferação de tecnologias e de “inovações”  tecnológicas que, resultantes de uma diversidade de campos entropicamente discretos e sem quaisquer garantias quanto aos efeitos da sua aplicação, cada vez mais diminui a capacidade humana de suportar a multiplicidade de efeitos, e ao mesmo tempo,  o impacto no ambiente de modo que se torna cada vez mais imprevisível e potencialmente catastrófico.
    Em suma, os resultados da ciência do espaço tridimensional aplicada, cria problemas de  natureza tanto material como mental que, com a falta de compreensão da comunicação e responsabilidade pelos seus efeitos, é nada menos que um desastre moral e ético. Isto é especialmente assim, desde que a civilização, apesar dos óbvios efeitos corrompidos  da tecnologia moderna, continue a prosseguir com estes métodos, como se não houvesse nenhuma outra maneira.
  6. Ciência – A capacidade inteligente de saber, definir, medir e comunicar – a ciência é uma fenómeno evolutivo cujos padrões mudam e variam de acordo com as circunstâncias e os problemas enfrentados pelas diferentes fases no desenvolvimento da inteligência. Apesar da generalizada e inevitável tendência da ciência moderna em direção à discrição entrópica, tem sido sentida aqui e ali a  presença de uma contra tendência relativamente à abordagem  ou metodologia dos sistemas totais. Toda esta abordagem de sistemas, mais enraizada na ciência biológica do que nas ciências físicas, e transformando-se cada vez mais numa consideração do planeta como um só organismo unitário ou ecossistema, é o único contexto viável dentro do qual uma fresca descrição do tempo vista a partir de sua própria dimensão, que pode ser realizado.
  7. A verdadeira compreensão dos sistemas totais tem como fim não só uma descrição exacta dos princípios do tempo visto a partir de sua própria dimensão, mas também  fornecerá a base para o estabelecimento de uma perspectiva e de um método pós-científicos pelo qual os problemas de alienação da natureza humana, finalmente poderão ser resolvidos com êxito.
    Para atingir este grande e nobre fim implica que haja uma compreensão adequada do tempo e, a Quarta Dimensão também oferecerá uma nova e radicalmente inovadora base para a reordenação de sociedade humana. Com isto – a verdadeira compreensão do tempo, visto a partir de sua própria dimensão – finalmente lançará uma revolução pós-científica lógica e abrangente mais vigorosa e de maior alcance na reformulação do pensamento e sentimento humano do que na revolução científica do século XVII. Mais do que apenas um antídoto, os princípios do tempo visto a partir de sua própria dimensão irá fornecer uma base positiva não só para a reorganização da sociedade humana, mas também para a melhoria do ecossistema planetário.
Scroll to top