Stopping Time 04 Time

O Tempo é um rio. Não consegues entrar no mesmo sítio duas vezes.

O Tempo é uma maneira que Deus encontrou para que tudo não acontecesse ao mesmo tempo.

O Tempo cura todas as feridas.

O Tempo passado é uma memória. O Tempo futuro é um sonho. A única realidade é o aqui e o agora.

Se só existe o aqui e agora, então, isso significa que não existe tempo?

Estou com algum tempo em mãos.

Vamos matar algum tempo.

Eu estou a fazer tempo.

Sim, existem tantas expressões populares acerca do tempo. Mas quem realmente sabe o que é o tempo? Não podes vê-lo, tocá-lo, prová-lo ou senti-lo. Mas podes sentir que está acontecendo, ou não. O tempo ás vezes é lento, e outras vezes rápido. Seja o que for, sabemos que algo se passa. Será que estamos a ser puxados implacavelmente para o nosso fim? E o que estará nos puxando – será o tempo?

Existem todas estas experiências de tempo a que chamamos de experiências subjectivas. O sentido do tempo que sentimos dentro de nós.

E depois existe o tempo do dia, do sol, da lua e das estrelas. E o tempo das estações do ano. O que é que isto tem a ver com as experiências subjectivas que temos do tempo? Claro que, quanto mais vivermos nas cidades, menor é a nossa atenção, menos nos apercebemos do nascer e pôr-do-sol, as fases da lua, as rotações das constelações no céu.

Quando é que foi a ultima vez que viste o nascer do sol? E o pôr-do-sol? O sol é uma coisa óbvia, ou assim pensamos. Será que já te apercebeste mesmo que o sol não nasce ou põe-se, mas que é a Terra que está rodando no seu eixo em relação ao Sol e que portanto cria este efeito do amanhecer do sol e do pôr-do-sol? O que é o "Ano" realmente?

E a Lua. Quando é que foi a ultima vez que viste o nascer da Lua? Quando é que foi a ultima vez que viste uma Lua cheia? Sabes onde e a que horas deves olhar para o céu para ver uma Lua Nova? Achas que és afectado pelas fases da Lua? Sabes quanto tempo demora a Lua para dar uma volta inteira à terra?

E as estrelas no céu? Sabes nomear alguma? Sabes onde achar uma delas? Sabes como reconhecer a Ursa Maior? Sabes onde encontrar a estrela Arcturus? Ou Sirius? E reconhecer o Plêiades? Ou os Planetas – Sabes onde estes poderão estar no céu?

Se não souberes responder a alguma destas perguntas, achas que realmente importa se experimentaste o sol, a lua, as estrelas? Achas que vivendo num meio ambiente tão artificial onde existe cada vez menos contacto com o sol, lua e as estrelas, é bom ou mau para ti?

O movimento e padrões do sol, lua e as estrelas têm tudo a ver com o que chamamos de Tempo Natural. O Tempo Natural é o tempo da natureza, do sistema solar, da galáxia, do universo – do cosmos em si. Será que existem padrões cósmicos do tempo, e se há, como reconhecê-los? Se já tiveste a oportunidade de passar algum tempo num lugar selvagem, reparaste que os pássaros ou animais são governados pela noite e dia, pelo nascer do sol e pôr-do-sol, assim como a mudança de estações? E o teu corpo – consideras que faz parte da natureza, da maneira como os pássaros, árvores e animais fazem? Sem ter que pensar demasiadamente neste assunto, parece óbvio que existe realmente uma diferença entre o tempo das cidades e o tempo da natureza. Qual é, esta diferença?

Será possível haver tempo artificial e tempo natural? Se és um habitante urbano, o teu tempo não é governado pelo sol, lua e estrelas. É governado por um calendário e um relógio. Desde que saibas qual é o dia da semana e as horas, não precisas realmente saber quando é que o sol nasce ou põe-se ou qual é a fase da lua.

Já reparaste, também, que não há um escritório ou uma escola, que não tenha um calendário ou um relógio na parede? O teu computador tem um relógio. O e-mail que recebes vem sempre com o mês, dia e horas que foi recebido ou enviado. Não importa onde vás, não consegues escapar do relógio. Está em todo o lado. E até muito provavelmente usas um relógio, quando também tens um ao lado da cama e até ao lado do forno da cozinha.

Toda a civilização moderna está absolutamente dependente do relógio, enquanto os teus dias são contados por um calendário de 12 meses pendurado na parede. Ou na tua agenda diária ou electrónica. E se viajas de avião, as revistas a bordo estão cheias de publicidade, praticamente em todas as páginas, existe um anúncio de um relógio. Estamos obcecados pelo tempo do relógio? Porquê? O que é que o tempo do relógio tem de diferente do tempo natural? Que efeitos o tempo do relógio e a agenda diária tem na tua mente e estilo de vida?

Claro que só estamos falando acerca das experiências comuns do tempo no nosso dia-a-dia, porque se juntasses um grupo de físicos, biólogos e astrónomos e perguntasses acerca do tempo, a discussão além de ficar aquecida não teria fim.

Os biólogos falariam acerca dos relógios internos e ritmos circadianos.

Os físicos falariam de qualquer coisa desde "flecha do tempo" até à ideia que o tempo é uma ilusão, um suporte psicológico ou uma mera experiência de duração. Uns até poderiam falar de uma quarta dimensão, e outros ponderar sobre o espaço métrico e tempo.

Os astrónomos falariam do tempo em relação como a evolução das estrelas, e os físicos quânticos falariam das partículas que saltam o tempo. Se um parapsicólogo estivesse presente, provavelmente comentava o tempo pré-cognitivo.

Uma coisa é certa. Dentro de um grupo tão avançado de investigadores haveria pouca unanimidade de opiniões.

Seria académico considerar todas as definições de tempo. O que é importante é a tua experiência de tempo, e o facto de estarmos todos a viver num tempo muito estranho e difícil. Porquê assim? Será que temos que estar consignados para sempre a viver num tempo difícil? Como é que se sai disto? Como é que chegamos a um novo tempo?

Talvez o tempo seja mais importante para ti do que originalmente pensavas. Talvez o tempo seja um instrumento de consciência que pode ajudar-te a vencer os sentimentos de abandono, desamparo, aborrecimento, falta de motivação e stress. Talvez precises de saber acerca do tempo para poderes sobreviver espiritualmente.