5: Tempo – É uma coisa espiritual

Parar o Tempo: Tempo – É uma coisa espiritual

“Mas, mãe, preciso do meu próprio tempo”.

Quantas vezes já ouviste os teus filhos fazerem esta declaração? E tu, também.

Quantas vezes já disseste para ti mesmo ou a alguém?

“Preciso de tempo para mim”.

O que é isso, e o que fazes quando tens tempo para ti?

A razão pela qual precisas de tempo para ti é porque existe demasiado tempo de outra pessoa na tua cara. Mesmo à tua frente. Precisas de estar sozinho – com a tua alma. É isto que significa realmente quando dizes que precisas de tempo para ti. Estar a sós com a tua alma deve ser o valor mais importante na tua vida. Nasces sozinho com a tua alma. E quando morres, é a tua alma sozinha que vai contigo. E mesmo assim, lutas para arranjar tempo para ficar sozinho com a tua alma. E se não estiveres sozinho com a tua alma – como é que vais perceber tudo?

O que é que a tua alma pensa acerca do tempo? Vamos ouvir.

Olá, tu! Esta sou eu, a tua alma a falar contigo. Oh, eu sei que cada um tem a sua alma. E que cada alma é única para o corpo que herda. Mas Deus fez as almas todas iguais no seu significado. Como tua alma, o que me interessa é que tu chegues ao fim da tua viagem com uma mente feliz. Cada alma tem o mesmo destino, então uma alma pode falar por todas. É o teu ego somente que pensa que a tua alma é diferente das outras.

Então escuta. O que a tua alma precisa, mais do qualquer outra coisa é de tempo. Tempo de qualidade. Esta é uma expressão que se usa bastante. Mas o que realmente significa? Que não existe qualidade no resto do teu tempo?

Tens que parar e olhar para isso. Até agora, tudo o que temos vindo a discutir parece ter uma dualidade ou polaridade. Tempo natural, tempo artificial. Tempo de relógio e tempo de qualidade.

Sim, tempo de qualidade parece ser aquele tempo que não estás a fazer o que o relógio te diz para fazeres.

Tudo o que a tua alma quer é tempo de qualidade. Mas o que dirias se a tua alma te dissesse: olha, tudo o que eu quero é tempo de qualidade! Eu desenvolvo-me no tempo de qualidade. E quando me dás tempo de qualidade é normalmente muito superficial porque estás preso no tempo de relógio. Pensarias que a tua alma é muito exigente? Mas pensa. É a tua alma e a qualidade de tempo que lhe dás que determina o que consegues quando chegares ao fim da tua viagem. Certo?

Então quem é, mais exigente: a tua alma que te diz, dá-me toda a qualidade de tempo que me podes dar e dou-te toda a experiência de qualidade que nem podes imaginar. Ou és tu que é mais exigente dizendo eu preciso de tempo para fazer o dinheiro que preciso para que possa arranjar tempo para dar à minha alma o que ela precisa.

Será que somos apanhados em alguma armadilha, ou algum tipo de castigo? Achas que Deus queria que te esquecesses da tua alma? Aumentando um pouco o crescimento de qualidade de tempo, enquanto o resto do tempo (hahaha!) o teu corpo está preso no tal moinho de tortura à espera do quê – de melhor pagamento? Não, do ponto de vista da tua alma puseste o teu corpo e consequentemente a tua alma no tal moinho para nada. Que razão terias para fazer tal coisa?

Claro que até podes dizer, não tenho escolha, é o que a sociedade exige. E depois não és livre, certo? És um escravo? Um escravo de quê ou de quem? Deixa-me dizer-te uma coisa directamente da tua alma. Quem possui o teu tempo possui a tua mente. Fica dono do teu tempo e assim conheces a tua mente.

O que te estou a tentar dizer, meu amigo, se me queres em boa condição no final da tua viagem, é que prestes muita atenção naquilo que te estou a dizer. Não podes ignorar por muito mais tempo este assunto do tempo. Ouves-me?

Eu estou a falar do teu tempo. O acordar da tua consciência do tempo. É o único tempo que tens de ser directo e verdadeiro comigo, a tua alma. Para fazer isto tens que perceber um ponto essencial: Tempo – é um acto espiritual. Enquanto não perceberes muito bem o que isto quer dizer podes me perder, e perdendo-me perdes-te a ti. Eu acho que tu não queres isto.

Eu sei que provavelmente nunca consideraste isto antes, que tempo é um acto espiritual. Em facto, tempo é totalmente espiritual – por isso não consegues vê-lo, provar ou tocá-lo. Podes apenas senti-lo. Fica registado no teu coração e alma. Não é como o espaço que é uma coisa material. Podes tocá-lo, prová-lo e senti-lo. Podes até, também, ficar viciado nele. É isso que cria o materialismo. É tão natural desenvolver um gosto pelo plano material. Mas é tão efémero! Porquê? Porque não percebes totalmente como o plano material é dirigido pelo tempo, e o tempo é um acto espiritual.

O tempo é o instrumento do espírito para fazer tudo o que Deus comanda. Então quando te deixas cair no aborrecimento ou ficas stressado, estás de facto a negar a realidade espiritual do tempo que te traz só benefícios! Quando estás “aborrecido” e não sabes o que fazer com o teu tempo, estás cego, para o facto que eu, a tua alma, está gritando por ti. Fala comigo. Não fiques aborrecido! Fala com a tua alma. É tempo de alma, não aborrecimento, quando tens tempo em mãos.

Eu sei o que é. Não tens habilidade espiritual para lidares com a situação. Não sabes realmente como meditar ou rezar. Ou menosprezaste o seu valor. Meditação e rezar, agora, que é tempo de qualidade.

Bem, não te quero bater mais na cabeça. Estou só a dizer que não podes ignorar mais o assunto do tempo. O tempo em que vives. E o programa de tempo em que tens vivido. Tens mesmo que examinar este programa, olhar com atenção para o significado do calendário e do relógio e perceber o que estão a fazer com a tua mente, o teu corpo e a tua alma. Se não olhares para estes instrumentos que governam o dia-a-dia e cada segundo da tua vida – se não começares a questionar o que estes tiranos do teu tempo estão a fazer contigo – então não vais poder chegar lá ao fundo da “porcaria” que me está a incomodar muito, a tua alma.