Albion, Tulán e o Modelo Original

“O Mundo da Imaginação é o Mundo da Eternidade”William Blake, Uma Visão do Juízo Final

… a perda da imaginação, da visão eterna, deixou a humanidade presa ao insignificante interesse competitivo que domina e divide o nosso planeta – materialismo, racismo, nacionalismo.”José Argüelles / Visão Transformativa

O poeta visionário William Blake escreveu sobre Albion como o “Anjo da Presença” no seu poema épico, Jerusalém (1804). Claro, Albion é também o nome poético da Grã-Bretanha.

Neste último dia Fora do Tempo na quinta Shire em Tetford, Inglaterra, a minha atenção voltou-se na direção de Albion e o despertar da Terra. Ver blog anterior: Quinta de Shire, Geomancia da Terra e Dia Fora do Tempo.

Blake descreve Albion como a “Forma Divina Humana”, um gigante que é o modelo de todos os homens e mulheres. Este gigante está a dormir há muito tempo, mas agora despertou.

O tema principal de Blake é a redenção humana e o retorno ao nosso verdadeiro estado universal – Visão Eterna. Ele usou o poder da arte e imaginação para transformar o que ele chama de “Os Moinhos Satânicos” (forças obscuras) na “Nova Jerusalém” (mundo da luz).

Como diz Blake, Albion tem um alto nível nos mundos espirituais e é favorecido por Deus. Ao encarnar na Terra, ele caiu num estado de amnésia e esqueceu a sua origem divina (história familiar).

Blake escreve sobre o sofrimento de Albion:

“Numa noite escura e desconhecida / estendeu sua beleza Gigante no chão em dor e lágrimas”

Preso na densidade da matéria, Albion experimenta as “sete doenças da alma” e sente-se  “doente à morte” das ” horríveis falsidades ” espalhadas pelos seus filhos e filhas.

O autor e Geomântico Planetário Richard Leviton no seu livro Santa Fe Light (Luz de Santa Fé), dá a visão de Albion “acorrentado a uma mesa no poço da Terra, semelhante à maneira como o gregos imaginavam Kronos (Pai Tempo) exilado e preso no palácio dourado de Ogígia”.

à medida que cada faceta da humanidade vem à luz, Albion começa a despertar e une-se a Vala, sua “Noiva e Esposa na grande Eternidade.” Vala personifica a natureza (ou Gaia).

Como Leviton aponta, Albion é o corpo para o despertar da Noosfera. A União de Albion e Vala é o casamento simbólico do espírito e a matéria que acende e activa sobre a Noosfera.

 

Albion e Tulán

Oh Terra, Oh Terra, Retorna!
Levanta-te da erva orvalhada;
À noite já desfalece,
E a manhã
Ergue-se da Massa adormecida.

William Blake “Songs of Experience” (Canções da Experiência) – 1794

Todos os arquétipos, mitos e lendas, finalmente, fundem.

O despertar de Albion também coincide com o despertar de Tulán, o modelo arquetípico do absoluto.

No Popol Vuh e outros textos mayas relacionados com Quetzalcoatl, Tulán representa o Reino paradigmático e o mundo do governo iluminado. Cada cultura tem sua versão de Tulán, como Shambhalla.

Blake fala de Albion trazendo um presente para o mundo: a “adorável emanação de Jerusalém”.

Na tradição ocidental, Tulán refere-se à cidade de Nova Jerusalém ou cidade celestial como profetizado no Livro das Revelações.

Usando a linguagem de Blake, Nova Jerusalém representa a regeneração da alma e da mente humana que ocorre após o julgamento, ou após os “Moinhos Satânicos” serem limpos.

Albion Tulan

 

Tulán e o Maya Galáctico

De acordo com a História Cósmica, os códigos de radio-genéticos projectados por meio do modelo de Tulán semearam a cultura e a mentalidade dos Mayas Galácticos no momento de sua encarnação terrena.

Os textos antigos também têm a sua origem codificada no modelo arquetípico de Tulán.

Estes textos transportam os modelos de código das semente que instruíram os nossos antepassados para construir cidades, centros urbanos e centros cerimoniais. Foi assim  que o projecto de Tulán se encarnou radio-geneticamente no ADN do povo Maya e  Tolteca, o Nahuátl.

Volume 6 da História Cósmica: O Livro do Tempo-Espaço foi revelado em grande parte através do canal de Tulán:

“… Tulán, conforme descrito neste volume, serve como um ponto focalizador, enviando as transmissões da História Cósmica para criar programas específicos que auxiliam a evolução humana. Estes programas de plenitude e totalidade”Argüelles/Prólogo: Livro do Tempo-Espaço.

Tulán, também pode ser visto como uma das bases estelares que projecta informações através do nosso Sol e, em seguida, no campo planetário.

Esta informação é projectada e impressa através de geometrias matemáticas para os códigos de ADN e o Banco PSI.

Uma visão do distante Tulán – “Base Estelar” – Centro de Comunicação e Energia

Tulán - Base Estelar
Uma visão da distante Tulán – ” Base Estelar” – Centro de Comunicação e Energia

 

Tulán Primordial: Viagem ao Centro

O Popol Vuh diz que Tulán é o lugar onde os deuses apareceram. Isto indica o destino da viagem até Tulán Primordial, a partir donde as pessoas viajam para diante até atingirem Tulán-Zuvuya (como por vezes é referido).

Zuvuya é o ponto central onde toda a memória do passado, presente e futuro se encontra.

Os Anais dos Caqchiqueles descrevem como os povos de todas as direções chegaram a Tulán (ou Tulan) buscando conhecimento.

Então, Tulán, pode ser interpretado como o núcleo universal ao qual cada um de nós deve acessar, a partir de dentro.

Chegar a Tulán é chegar ao nosso diagrama original onde o conhecimento é derivado.  É o Centro de Deus que é alcançado através de pureza vibracional e não é baseado em religião, raça ou tradição. Qualquer pessoa sincera de qualquer fundo pode acessá-lo.

O Popol Vuh diz que as pessoas deixam Tulán à noite procurando o primeiro amanhecer. São lideradas pelo quatro anciãos ou profetas das estrelas, o Balam Quitze.

Quando chegam ao cruzamento dos quatro caminhos: estrada vermelha, estrada branca, estrada preta e estrada azul esverdeada, cada um segue por um desses caminhos e cada um indica  uma direção diferente.

Os Balam levam as pessoas à procura do primeiro amanhecer. Quando chega o amanhecer, Tulán é reduzido à memória.

Esta memória pode ser reactivada através do Reino imaginário, arte e música.

O Popol Vuh diz que “as pessoas devem retornar para Tulán.”

E assim como a profecia do retorno de Quetzalcoatl, Blake promete que Albion surgirá novamente.

“O tempo chegará
Quando todos os ferimentos  de Albion se extinguirem,
e quando ali estivermos
Abraçá-lo-emos , dez vezes mais brilhante, subindo de seu túmulo para imortalidade.”

“No Universo, existem coisas conhecidas e coisas desconhecidas, e entre elas, há portas”William Blake


Texto de Stephanie South a.k.a Red Queen, publicado em:
https://1320frequencyshift.com/