Quebrando os Laços de Tempo e Apagando os Registos

1.30.4.10: Kin Terra Magnética Vermelha

“Nove em cada dez pessoas irá rejeitar a evidência mais esmagadora, mesmo que lhes seja apresentada sem problemas para eles, apenas porque entra em conflito com os seus preconceitos ou interesses pessoais; especialmente se vierem de fontes impopulares”HPB

Algo acontece consigo, quando percebe que a sua vida inteira é uma matriz auto-construída.

Emoções de muitas cores surgem quando se apercebe da sombra artificial que foi sobreposta no seu cérebro. Esta matriz artificial governa a sua maneira de pensar, as suas decisões, como se sente em relação a si próprio e ao mundo, as suas crenças, preocupações e medos. Quem é o mestre dos fantoches desta matriz?

Quando se está habituado a ver por detrás das coisas (externas), não se está mais disposto a ser tocado pelos aspectos exteriores – ou a esperar qualquer remédio das mudanças políticas, institucionais ou sociais; a única saída é através da descida de uma consciência (consubstanciada) que não é o fantoche destas forças, mas é maior do que elas.O Sri Aurobindo

Se o tempo é um rio que sempre flui, movendo-se sem nenhuma obstrução, então esta matriz artificial (12:60) é o bloqueio que barra o espírito verdadeiro e o separa para que os canais de energia pura sejam confundidos e lançados em caminhos divergentes.

Quebrando os Laços de Tempo e Apagando os Registos

O que realmente importa é o retorno do seu fluxo desobstruído. Reconectando-o  com a Fonte original.

Todos estamos perdidos no tempo?  O que é infância? É um lento eclipse da nossa memória? A nossa memória muda à medida que nossa consciência evolui?

Tempo. Precisamos realmente entrar para entender, entrar mesmo. O que é que isto significa? Do que se lembra sobre si? Como se lembra? O que é memória? Como pode a memória ajudar no seu dia a dia? Como se lembrará de si sem a influência da matriz artificial,  ficará mais feliz? É feliz?

Esta matriz artificial (também conhecida como frequência 12:60) faz nos acreditar que esta Terceira Dimensão é a única dimensão válida. Tudo o que está fora desta dimensão é rotulada como “marginal” ou “excêntrico”. Quando estamos presos nesta estreita capacidade mental, então podemos ser facilmente engatilhados pelas flutuações do mundo externo.

Eis aqui notas matinais para o Ser.

A identificação com o corpo físico é uma fase pré-escolar.

Não desperdice energia lutando por superficialidades.

Identifique-se com a Essência Invisível e transcenda.

Reconheça o seu próprio valor desde o interior e, não se preocupe com o que os outros pensam. Não precisa de se explicar.

Somos Instrumentos do Infinito, comporte-se como tal.

Quebrando os Laços de Tempo e Apagando os Registos 1

Se não evoluirmos constantemente e mudarmos nossos pontos de vista, provavelmente não estamos a crescer, mas permanecemos presos em espirais de tempo fixo. Grande parte da nossa identidade e das nossas respostas emocionais são baseadas em eventos externos, ou na tentativa de fazer os outros ver a vida da maneira a vemos?

Se nos sentimos chamados a auxiliar na cura planetária (ou na cura dum trauma Antigo) então, primeiro devemos sair da prisão das espirais de tempo negativos gravados na padronização linear de tempo. Estas são as “barragens” artificiais que impedem o nosso fluxo criativo.

Espirais de tempo são um resultado de padrões condicionados da mente e podem ser comparados a um disco riscado. Quando isso ocorre, nós repetimos as mesmas histórias ou ciclos mais e mais.

Esse arranhão na gravação contém as impressões de um trauma profundo, feridas ou dor inconsciente. Quando uma pessoa é “provocada”, o registo começa a saltar, a lente preceptiva estreita-se e a mente começa a projectar a narrativa do trauma.

Quebrando os Laços de Tempo e Apagando os Registos 2

A estrutura vibratória do trauma pode assumir todo o campo perceptual resultando na incapacidade de ver qualquer ponto de vista, excepto o do corpo de dor.

Quando acionado, a pessoa vê todos os outros no seu campo, numa relação com a narrativa traumática que se desenvolve na sua mente e, no seu drama,  atribui funções especificas aos “outros” (dos quais, os outros estão muitas vezes inconscientes).  Se os personagens da peça não se comportam de acordo com as regras de sua narrativa, então a pessoa fica ainda mais agitada ou perturbada.

Quebrando os Laços de Tempo e Apagando os Registos 3Isto pode manifestar-se através de abuso, raiva e explosões emocionais. Nós vemos que isto está a ocorrer no planeta. A raiva é uma reação hostil ao sentimento ferido ou não visto. É um mecanismo de defesa que nos permite sentir vulneráveis. No fundo tudo é o sentimento de medo e separação. O medo final é da morte e abandono, que provém de nosso sentimento fundamental da separação da Fonte.

“A culpa não é minha, é tua,” é o lema subliminar do circuito temporal negativo universal que vemos actuar em todo o planeta. É esta atitude que continua os mesmos ciclos disfuncionais repetidamente. Concentramo-nos nas injustiças percebidas de outra pessoa (ou país, etc) que nos dá uma sensação temporária de poder e prolonga-nos o enfrentar dos nossos próprios defeitos e a dor interior

Este padrão irá continuar até que chegarmos a um umbral, onde nós finalmente reconhecemos que a dor que está dentro deem nós, somos nós que a temos de resolver. Não pertence a mais ninguém. O disco vai continuar a saltar até isso seja reconhecido e libertado.

Nosso trabalho (se assim escolhermos) é ajudar na limpeza dos registos e assim, na cura do trauma antigo.

“Uma vez que um padrão condicionado é estabelecido na mente, muitas impressões serão automaticamente rejeitadas, ou então filtradas através da mente conceitual.

Para sintonizar com as camadas de pensamento cósmico, o ser humano deve primeiro identificar formas de pensamento condicionadas através do cultivo de uma prática de meditação”Crónicas da História Cósmica, Volume 1

Eis porque o Buda enfatizou a meditação sobre o altruísmo ou ausência do ego (vazio). Somente experimentando directamente a abnegação podemos acabar com o processo de projeção confuso.

Quando um disco de vinil tem um risco, as instruções são:

  1. Identificar a área danificada (Chegar à raiz do trauma original)
  2. Lixar levemente a área num movimento circular (Reimprimir o padrão através do trabalho interior, meditação).
  3. Limpe o disco com um pano (Soltar e deixar ir de velhos padrões)
  4. Mergulhe na água e lave (Purifica o corpo e mente)
  5. Seca com movimentos circulares (Reforçar os novos padrões através da prática consistente)
  6. Se o risco é demasiado profundo procurar ajuda de um profissional (ou de quem tem suficientemente limpo seus próprios registos e pode apoiá-lo).

Quebrando os Laços de Tempo e Apagando os Registos 4

 


Texto de Stephanie South a.k.a Red Queen, publicado em:
https://1320frequencyshift.com/