tags

O Advento da Noosfera

III. Síntese e Aplicação

O Advento da Noosfera

pacal votanA síntese e a aplicação dos princípios do tempo a partir da sua própria dimensão estão constituídas no programa de ferramentas chamado O Encantamento do Sonho, a Viagem da Nave Tempo Terra 2013. o Encantamento do Sonho refere-se a qualquer realidade de consenso estabelecido. Numa perspectiva planetária, o Encantamento do Sonho pode descrever menores ou maiores ciclos de invólucros cronosfésricos tecidas sobre rotação orbital da Terra à volta do Sol. Espalhado no meio do registos do Giro Galáctico, um Encantamento so Sonho cronosférico  pode tornar-se reflexivo na consciência, alcançar uma ordem primária ou nível de ser galáctico. Esta é a possibilidade evolutiva disponibilizada pela compreensão correcta do tempo como a Quarta Dimensão, entendida e aplicada como no Encantamento do Sonho.

Reconhecendo o Encantamento do Sonho como uma solução evolutiva, um conjunto de códigos e ferramentas para conhecer e dominar o tempo, concordámos com o problema com que nos confrontamos no início deste livro: da alienação da humanidade com a natureza. De acordo com a análise e crítica do tempo na sua própria dimensão, este problema, cujo resultado é a difusão da desordem social e degradação ambiental incontrolável, é devido a um erro no tempo. A criação, promoção e aceitação da frequência de tempo artificial 12:60 é o erro no tempo cuja premissa nos afasta mais e mais da natureza sem qualquer esperança de resolução. Para corrigir este erro, abandonar a frequência de tempo 12:60, é abrir a possibilidade de um reencontro com a natureza, mediante a reinserção do sistema total da Terra na frequência de tempo natural.

Para acelerar este reencontro com a natureza, tudo que é necessário para uma primeira etapa é para libertar-se do calendário Gregoriano de 12 meses e adoptar o Calendário das 13 Luas. O Calendário das 13 Luas é uma ferramenta evolutiva para auxiliar a humanidade no acto sem precedentes de se unir a si mesma a uma questão central para o seu completo bem-estar: Tempo. A Convergência Harmónica da humanidade nesta questão, combinada com a inescapável ordem, perfeição e simplicidade de seguir o Calendário das 13 Luas elevará a espécie como um todo simultâneo na frequência de tempo galáctico 13:20. Este momento evolutivo garantirá que o subcorpus humano —o principal, portador do destino da massa de matéria planetária viva— tornar consciente a transição da Biosfera para a Noosfera. Este simples acto, a adopção do Calendário das 13 Luas, corrigindo a frequência do tempo, será o momento de maior triunfo que a humanidade conheceu por si mesma. À medida que a Humanidade avança, o Planeta também avança. Ao unificar-se consigo própria, a Humanidade sinalizará a unificação do Planeta como um  sistema total. Em vez de alienação da natureza, a nova ordem será síntese com a natureza.

Uma vez o Calendário das 13 Luas em movimento toda a humanidade estará no mesmo padrão recém unificado de igual tempo. Igualdade de tempo significará o retorno da ciência às pessoas tal como o jogo de ferramentas galáctico do Encantamento do Sonho. Através da promulgação universal e propagação deste pacote de ferramentas, cada ser humano até ao último terá a oportunidade de promover a sua própria auto evolução e entrada na Cultura Galáctica. Não só a ciência voltará para as mãos das pessoas, como também será um empoderamento para viver uma vida de autonomia harmoniosa e de arte plena. Ao acabar com o conflito em si, um conflito provocado e confirmado por um erro no tempo, a humanidade acabará seu conflito com a natureza. Surgirá uma nova ordem social. As artes da paz irão florescer como nunca antes. Muito rapidamente, todo o sistema Terra será transformado em numa espora de arte vivo, o cumprimento da planetização da humanidade, o surgimento e a manifestação consciente do Banco PSI. Como?

O programa do Encantamento do Sonho é a demonstração empírica da Quarta Dimensão do Tempo. Na Quarta Dimensão tempo é biologia, biologia é arte, arte é tempo. A Biologia Galáctica engloba sistemas vivos ou totais como um Todo. Compreender um sistema planetário na sua totalidade é experimentar de forma completamente estética a totalidade vívida de uma ordem complexa, evoluindo-se através do tempo. Tendo banido o nosso conhecimento sozinha para a Terceira Dimensão, separando-nos a nós mesmos da Quarta Dimensão e ao fazer isso privámo-nos da regularidade harmónica e da originalidade sincrónica que aparece ao trabalhar em conjunto com a Cronósfera Planetária, a Quarta Dimensão. Se uma coisa não é imaginada ou concebida como um elemento total da realidade, ele não virá a existir. A Mente participa na sua própria evolução através de actos de imaginação audazes. Se a Cronósfera é a imagem da estrutura e princípios mentais que conferem a ordem de dimensão superior a todo o planeta como um sistema em evolução, e se o princípio dos poderes de regeneração da Cronósfera está dependente de auto-reflexão mental humana, então, a Cronósfera apresenta o perfeito mecanismo evolutivo interactivo através do qual a humanidade pode restabelecer a ordem em si e fazer as pazes com a natureza.

O Cronósfera Planetária é a capa da Quarta Dimensão que regula o cinturões de radiação e magnetosfera, a biosfera ou ecossistema e o próprio plano físico do núcleo da Terra. Como tal, a Cronósfera funciona como uma estrutura de campo tripartida coordenando o campo eletromagnético (magnetosfera e cinturões radiação, incluindo a ionosfera); o campo bio-psíquico (biosfera inclusive a simbiose de eco-ciclos que integram o “corpo inerte” com o “corpo vivo”) e o campo gravitacional (incluindo a estrutura de placas tectónicas, mantos e núcleo de Terra).

Actualmente, o sistema de crenças do campo mental 12:60 criou um escudo mental artificial, ainda totalmente ilusório, ao redor do planeta. A rigidez deste sistema de crença é tudo o que impede a humanidade, não só de perceber que a Cronósfera existe, mas também de receber os enormes benefícios da sua presença. O escudo mental planetário 12:60 é sustentado por um laço de realimentação artificial que é um sistema de auto-reforço. Na raiz artificial deste sistema 12:60 está a crença de que o tempo é linear. Para aceitar que esta crença renunciar ao livre arbítrio, pois a crença de que o tempo é linear envolve o crente numa armadilha mental que diz que não há nenhuma escolha senão seguir em frente, de acordo com as opções disponíveis, que foram condicionadas por um desenvolvimento linear que apenas pode ter uma conclusão pré-determinada. Além de contradizer os factos de dinâmica rotacional da Terra, da rotação e da circulação orbital, o fatalismo da crença de que o tempo é linear gera uma doença mental que aflige todos da humanidade e o planeta, sem exceção.

Esta doença mental manifesta-se na ordem da realidade, tal como hoje é conhecida, uma realidade governada pelo princípio “tempo é dinheiro”. O poder inescapável desta ordem 12:60 da realidade é referido como Atlantis Corporation[1] — “Atlantis” porque o próprio nome evoca uma grandeza amnésica e “‘Corporação” devido à tendência de incorporar tudo numa forma mental que pode ser trocada por e/ou avaliada pelo dinheiro. Esta é a essência da doença mental 12:60, um vírus de memória genuína que se manifesta como o escudo mental planetário artificial do materialismo global.

Além disso, sendo artificial o escudo mental 12:60 não pode suportar os efeitos avassaladores da força g, a frequência galáctica natural do tempo auto existente 13:20. À medida que a maré da frequência de tempo 13:20 entra, a frequência 12:60 diminui no poder e, como um banco de areia ocasionado num momento por perturbações o geomagnetismo afecta o oceano cresce, noutro momento desaparece, engolido pelo vasto oceano do tempo galáctico. uma vez, que se torne evidente que a frequência 12:60 é meramente uma ilusão rapidamente erosiva, um de menor espaço de consciência, então, a eleição do colectivo humano para a ordem superior da realidade tornar-se-á um percurso mais fácil.

Uma vez que a Cronósfera actua na frequência regular 13:20 e que a humanidade esteja actuando conscientemente na frequência 13:20 através da aceitação do Calendário das 13 Luas, então, o campo tripartido regulado na totalidade pela Cronósfera entra em ressonância com ele próprio. Estando em auto ressonância, produzirá a sua seu próprio manto de mente da mente 13:20 – a Noosfera – para ser activado como o Banco PSI, o código que coloca a Terceira e Quarta Dimensões em sincronização mútua. O Encantamento do Sonho é o conjunto de ferramentas para desbloquear o Banco PSI e, ao fazê-lo, evoca a iluminação iminente do próprio Encantamento. Ao contrário, do circuito de retroalimentação 12:60 artificialmente gerado, que é como mau ar continuamente circulando dentro de um sistema fechado, o circuito cronosférico  13:20 é de natureza e origem galáctica. A operação livre da Cronósfera assegura sua própria iluminação.

Para a humanidade, o essencial e o vinculo a esta mudança evolutiva em direção à total iluminação – transcendência universal – há a necessidade de cuidar adequadamente da Biosfera. Como campo bio-psíquico, a descrição da Biosfera inclui a sua transição para a Noosfera. Isto significa a interpenetração consciente da Quarta Dimensão na Terceira Dimensão, o avanço evolutivo dos códigos do Encantamento do Sonho num desbloqueio co-criador dos padrões de geração de memória que regem o próprio desenvolvimento de sistemas Terra. Novamente, uma vez que a humanidade se liberte do controlo da frequência de tempo artificial 12:60, os portais abrir-se-ão.

De acordo com a análise e crítica de Encantamento do Sonho, a humanidade encontra-se geneticamente no assento do motorista e tem a capacidade de trazer a ressonância consciente dos três campos da Cronósfera: o eletromagnético, o bio-psíquico e o gravitacional. Através da aplicação dos códigos de Encantamento do Sonho, o subcorpus humano da matéria viva planetária pode exercer uma síntese criativa, no qual o campo eletromagnético psíquica e fisicamente é reconstituído através dos sentidos; o campo bio-psíquico reorganiza-se como ordem cósmica telepática da sociedade humana indistinguível das ordens vivas da natureza; e o campo gravitacional é levado a um novo nível de equilíbrio através de uma correlação vibrante e simbiótica das duas ordens geoquímicas tridimensionais: SO2 (dióxido de silício) e CO2 (dióxido de carbono). Por mais absurda que, ao inicio, esta correlação geoquímica possa parecer, ela baseia-se na congruência do holon a diferentes níveis e funções da Biosfera considerada como uma forma de evolução do tempo.

Os códigos do Encantamento do Sonho da Quarta Dimensão do Tempo explicam uma correspondência perfeita entre o Holon do Planeta (ver figura abaixo) e o Holon Humano (ver página 60) e centro de volta, Conselho de viagem). Governado pelas 20 frequências solares organizadas como uma rede icosaédrica, na verdade, o Holon Planetário consiste em três movimentos simultâneos de diferentes séries de ícones totais. O movimento simultâneo das três redes que constituem o Holon do Planeta produz a Cronósfera e seus três campos.

 

Holon Planetário – Nave do Tempo Terra 2013

  1. A série de quatro redes corre na diagonal para baixo e para a direita desde do Polo Norte descreve os quatro poderes cromáticos dos quatro clãs movidos pela quinta harmónica. A rede bipolar das cromáticas do clã corresponde ao campo eletromagnético da Cronósfera. Do ponto de vista da Quarta Dimensão, electro magnetismo é a função de uma dinâmica de Segunda e Quarta Dimensão. A rede cromática do clã do Holon Planetário mostra a ligação bipolar consciente da experiência eléctrica da Segunda Dimensão da esfera sensorial humana com a ordem do tempo magnética da Quarta Dimensão.
    Actualmente, “eletricidade” é mantida refém dos interesses da frequência 12:60, e seu uso é confinado a uma exploração dos sentidos. No Holon Humano, a rede cromática electromagnética bipolar manifesta-se através dos quatro membros – mãos e pés-, bem como os de quatro circuitos do corpo que conectam os 20 dígitos das mãos e dos pés com cinco centros psicofísicos internos. Codificados com o enredo eletromagnético, são a dinâmica de Génesis solar-planetária e o movimento das células do tempo e das Harmónicas. Desta forma, o Holon Humano com sua raiz tridimensional ou “fato espacial” é, em abono da verdade, um bio computador planetário já evoluído.
  2. A rede horizontal do Holon Planetário descreve o campo bio-psíquico/Noosférico de ressonância. Enquanto quatro pontos da rede que se movem diagonalmente para a parte  inferior direita descrevem o campo eletromagnético bipolar de ressonância, o bio-psíquico consiste em cinco pontos movendo-se horizontalmente através do Holon Planetário. Estes cinco pontos horizontais descrevem as cinco Famílias Terrestres que codificam os 365 dias de rotação da Terra em redor do Sol – as 73 sequências. A codificação de cada ser humano, pela data de nascimento de acordo com uma destas cinco Famílias Terrestres constitui a matriz da Biosfera, bem como a capacidade da Biosfera se transmutar na Noosfera. (Ver Postlude: Biomassa Constante de Vernadsky) O escalonamento cromático do movimento horizontal das cinco Famílias Terrestres estabiliza a Terceira Dimensão da Terra dentro da Noosfera.
    No do corpo humano individual, o campo bio-psíquico situa-se nos cinco centros psicofísicos da consciência, alinhados ao longo do eixo central. A ressonância destes cinco centros uns com os outros estabiliza o Holon Humano dentro do corpo em movimento, fornecendo uma base unificada, a partir da qual toda a sensibilidade pode irradiar.
    No bio computador do ser humano o Chakra da Coroa corresponde a região do Ártico do norte da Terra, regulada pelo Família Terrestre Polar, código barra. O Chakra da Garganta, centro da comunicação humana, corresponde a região do Norte Continental Temperada da Terra, regulada pela Família Terrestre Cardinal, código um ponto. Ao centro, o Chakra do Coração humano de saber inato correspondem os Trópicos Equatoriais e o Núcleo Central da Terra, regulado pela Família Terrestre do Coração, código dois pontos. Ao Chakra do Plexo Solar, centro de saber intuitivo do ser humano corresponde a zona temperada oceânica Sul da Terra, regulada pela Família Terrestre do Sinal, código três pontos. Finalmente para o Chakra Raiz sexual humano corresponde a região Antártica Sul da Terra, regulada pela Família Terrestre Portal, código quatro pontos. Nestes cinco séries de Holon Humano Planetário as correspondências constituem os meios eficazes de compreensão do substrato mais profundo das mudanças genéticas e psíquicas necessárias para transmutar a Biosfera para a Noosfera, o satisfação do campo bio psíquico é a conquista da Cronósfera em evolução da Terra.
  3. O terceiro nível de baínha do Holon Planetário constitui o campo gravitacional de ressonância. O campo gravitacional mantém unido pelas Famílias de quatro cores em movimento ascendente desde do Polo Sul, correndo diagonalmente oposto à rede cromática. A gravidade é a coerência de todo o sistema consigo mesmo, criando um todo unitário. Gravidade implica equilíbrio coerente de elementos resolvidos através de uma energia primária binária da atração.
    Este poder binário de atração é fornecido pelas quatro cores dispostas como duas séries de valores atraentes e atrair. As famílias de quatro cores criam uma estabilização gravitacional em dois valores de valores antipodas primários: Vermelho e Azul e Branco e Amarelo; os duas séries de dois valores cada uma resolvem-se interactivamente numa única unidade binária do equilíbrio gravitacional.
    Os valores Vermelho e Azul, iniciando e transformando respectivamente, resolvem-se num equilíbrio de valor individual gravitacional, conhecido como valor Auto Existente e Lunar. Os valores tonais correspondentes para o Auto Existente e Lunar são 4 e 2. Os valores Branco e Amarelo, refinamento e amadurecimento respectivamente, resolvem-se num equilíbrio de valor individual gravitacional, o Eléctrico-Magnético. Os valores tonais correspondentes para o Eléctrico e Magnético são 3 e 1, respectivamente. Resolvido em dois equilíbrios de valor gravitacional, o Auto Existente-Lunar e o Eléctrico-Magnético, o campo gravitacional gera outros dois campos. É precisamente porque o valor eletromagnético é uma das duas forças compostas pelo qual gravidade é mantida, que pode ser gerado como um campo por direito próprio.
    A ordem gravitacional de equilíbrio fornecido pelas famílias de cor cria um molde organizacional energético para o Holon Humano entrar à medida  que avança no seu próprio processo de reabsorção cósmica numa ordem sensorial e social mais simples e expansiva. Ao trazer o campo gravitacional do Holon Humano Planetário para um nível de ressonância consciente, a realidade humana pode trazendo uma expansão correspondente de programas sensoriais e consciência mental.
    No contexto do Encantamento do Sonho a rede de quatro cores do campo gravitacional de ressonância é também referida como as quatro Raças Raiz. Porque cada célula do tempo consiste num membro de cada uma  das Quatro Raças Raiz, a ordem de funcionamento do tempo demonstra a ordem cooperativa da realidade social. Organizados como as Quatro Raças Raiz, os movimentos da ordem social humana podem participar na manutenção da ordem gravitacional da Terra enquanto participam de uma hierarquia de constante mudança de funções e realidades temporais.Desta forma, a ordem social humana sintetiza-se cada vez mais com a ordem total da Biosfera, à media que  a Biosfera se transmuta na Noosfera.

 

Holon Humano

Conhece os teus Dedos das Mãos e dos Pés

O método eficaz para produzir esta síntese gravitacional de ordem social e geoquímica é encontra-se na harmonização das duas ordens de realidade Biosférica apresentadas pelos programas moleculares da Terceira Dimensão  SO2 e CO2. A ordem da realidade de Dióxido de Silício SO2 representa o corpus “inerte” da Biosfera da Terra e a matriz chave subjacente do núcleo físico denso da Terra. CO2, o ciclo do Dióxido de Carbono, é a base do programa que sustenta o corpus da matéria viva, ou biomassa, desde a fotossíntese das plantas até à respiração do organismo humano.

O SO2, o cristal de quartzo representa uma simplificação máxima radial da forma com um aumento máximo de capacidade de transdução – o poder de mudar um estado de energia para outro.

Como componente genético chave do ciclo de CO2, o ser humano representa uma complexidade máxima radial da forma, com um aumento máximo em sensibilidade – o poder de absorver novos estados de sentimento em plena auto reflexão absorvente. Tanto o cristal como o humano são ressonadores completos da matriz radial. Um futuro, ainda que imediatamente realizável, significa que aceleração da evolução da Biosfera para a Noosfera é encontrada nesta simples  transformação simbiótica: as amplitudes insondáveis da sensibilidade humana aplicadas por meios mentais à transdução de cristal. Desta forma o advento da Noosfera está preparado, a evolução da Biosfera em estados expandidos de abertura de sensação transdutora para possibilidades incalculáveis de transdução sensível. Uma Cronósfera, um planeta, um espectro interdependente de possibilidades evolutivas: a realização da convergência harmónica dos ciclos de SO2 e CO2 abrirá perspectivas para a criação do esporo artístico do planeta.

Actuando como a internalização dos três campos de ressonância e permitindo a capacidade socialmente reorganizadora dos códigos do Encantamento do Sonho se fixe em as suas próprias percepções, os seres humanos libertarão incalculáveis quantidades de energia psíquica agora reprimidas dentro do escudo mental artificial 12:60. A libertação destas energias, criativamente, moderadas pela Onda Encantada do Serviço Planetário do Calendário das 13 Luas, provocará a reorganização telepática da sociedade humana.

Mas primeiro, a humanidade deve usar o novo calendário para entender a sua própria crença com dinheiro como um valor. A reestruturação das13 Luas desta crença resultará em programas planetários para equalizar o actual status da riqueza. Com a reordenação dos conceitos da riqueza exigidos pelo novo calendário, as formas políticas existentes também serão simplificadas e usadas para criar uma transição ordenada para fora do domínio institucional da frequência 12:60 e de volta à natureza. Este retorno à ordem natural será aberto antes de tudo por um esforço concertado para limpar e restaurar o meio ambiente, seguido da realização das leis unificando a experiência mental humana com a maior frequência de tempo que regula a natureza, a 13:20.

A soma destes esforços iniciais na auto reorganização de acordo com o novo calendário e reentrada na frequência da tempo adequada irá estabelecer a humanidade numa trajetória evolutiva acelerada. Finalmente compreender a natureza do tempo, vivendo, por fim,  em tempo com a natureza, a humanidade conhecerá o tempo como avanço nos domínios mentais e sensoriais da experiência apenas reforçada pela capacidade telepática de se conhecer como Um, de penetrar e entrar no que quer que seja necessário conhecer. Dado que tempo é biologia e biologia é arte, esta sintonização do ser humano na sua própria frequência natural encontra-se a capacidade do sistema total da Terra para atingir sua resolução evolutiva como um esporo de arte planetária. Mais que isto não consigo dizer, pois minha visão é apenas a minha visão. Cabe à inteligência de toda a colectividade humana de fazer a escolha que tem que fazer.

Como afirmei no início, a ciência é um fenômeno evolutivo. Quando os programas segundo os quais vivemos já não são nada mais do que ordens de auto manutenção, as leis que governam a nossa própria evolução e auto-reflexão serão descobertas ou até inventadas novamente.  Tendo apresentado aqui os princípios, as provas matemáticas e demonstrações empíricas do tempo como Quarta Dimensão, o propósito deste Tratado foi cumprido.

Incorporadas no Jogo de Encantamento do Sonho encontram-se as possibilidades de cronomância não abordada neste livro. A parte detrás do Oraculo e do tabuleiro da Viagem contêm a demonstração mínima necessária para transmitir os mecanismos operacionais da Cronósfera e as primeiras noções da nova ciência da Além disso, se cada um seguir  cuidadosamente o que aqui está escrito e sem inibições para aprender de novo, tesouros escondidos na Terra e a mente inconsciente irão mostrar-se com lógica e clareza sobrenatural.

 

Concluído em honra dos Guardiões Arcturianos

Kin 165 Semente Galáctica Amarela

Lua Harmónica, Dia 14

Ano da Tormenta Azul

 


[1]
Atlantis Corporation. Para esta tradução foi escolhido o idioma original por entender que expressa melhor a ideia de uma mega-corporação. (Nota do Autor)

Prova Matemática e Demonstrações

II. Princípios

Prova Matemática e Demonstrações

pacal votan

O Código 0-19

As provas e demonstrações da matemática do tempo da Quarta Dimensão derivam do código auto existente “código 0-19”. O sistema de notação ponto-barra intrínseco a este código é vigesimal, dinamicamente icónico, e através da utilização de um valor zero, exponencialmente flexível – ou seja, avançando em posições cujo valor aumenta pelo poder do 20. Assim, na primeira posição um ponto é igual a uma unidade ou Kin, enquanto uma barra é igual a cinco; na segunda posição cada ponto é igual a 20 unidades ou Kins, enquanto cada barra é igual a 100; no terceiro, cada ponto é igual a 400, cada barra 2000; na quarta posição, um ponto é igual a 8000 Kins; no quinto cada ponto é igual a 160.000 Kins e assim por diante.

Os algarismos árabes são não-icónicos, numerações literais, cujo poder é conceitualmente limitado. Por exemplo, uma tradução individual de um valor do sistema ponto-barra  para árabe é apenas aproximada, um sistema literal de valor único nunca será capaz de poder transmitir o poder de valor múltiplo  dum sistema icónico gráfico. Os padrões do código 0-19 demonstram o poder de vários valores do sistema de numeração icónica, ou seja, observem que as linhas horizontais possuem uma unidade através de equivalências de pontos, enquanto as linhas verticais possuem unidade de equivalências de barras (ver: 0-19 Código Galáctico, página 32. Também Carta referência Rápida, do Kit de Encantamento do Sonho).

Todas as construções e as provas derivadas deste sistema de código vigesimal ponto-barra também assumem a forma de ordens matemáticas auto-existentes ou estruturas. Empiricamente manifestam-se como as diferentes peças e ferramentas do Jogo do Encantamento do Sonho, actualmente, as demonstrações matemáticas existem como uma unidade de romance para a experiência humana.

A verificação final destas provas matemáticas só pode ocorrer através de um ajustamento do comportamento humano às normas e códigos da Quarta Dimensão do tempo galáctico. Tal ajuste comportamental constitui uma escolha de livre arbítrio e do nível de inteligência que se abre numa vasta dinâmica evolutiva. Esta é a dinâmica evolutiva que regista a transição da Biosfera para a Noosfera, o movimento da consciência humana de entropia da Terceira Dimensão para a Ordem Galáctica da Mente e do Ser. É por isso que a aplicação das principais formas das demonstrações matemáticas da Quarta Dimensão são fórmulas virtuais para a própria autonomia e toda reorganização de sistemas totais através do poder do tempo.

IMAGEM DA PAGINA 32 (34) DO LIVRO EM INGLÊS

A Aventura da Onda Encantada (Legenda)

 

A Onda Encantada

A Onda Encantada é a unidade de medida padrão fractal. No termo Onda Encantada, Onda refere-se ao poder do movimento, Encantada ao poder que se pode ganhar estando em harmonia com a realidade. Portanto, conhecer e percorrer a  Onda Encantada é demonstrar o poder autónomo aumentado mediante identificação harmónica com tempo da Quarta Dimensão.

Uma Onda Encantada é uma forma fractal constante de 13 unidades. Estas 13 unidades representam a cosmologia de 13 Tons da Quarta Dimensão. Na cosmologia da Quarta Dimensão as 13 unidades constituintes não podem ser nem separadas nem compreendidas separadas umas das outras. As unidades são referidas como tons porque a natureza da realidade da Quarta Dimensão é puramente vibracional, espectral e sem peso. Portanto, cada tom representa uma sequência cosmológica discreta que descreve um processo de criação contínua. Enquanto cada uma das 13 posições mantém o valor de um Kin, o valor de cada Tom representa um poder criativo da ressonância, cada poder construindo o Tom anterior ou a soma dos tons anteriores (ver: aventura da Onda Encantada e parte de trás da tabuleiro do Oracle, Jogo do Encantamento do Sonho).

Na abordagem dos sistemas totais, o nível planetário representa o sistema total mínimo; o kin representa uma rotação do planeta sobre o seu eixo. Dado que todos os elementos do planeta desde núcleo a magnetosfera giram simultaneamente juntos e interdependentes sobre o mesmo  eixo, um Kin incorpora todo o sistema planetário em todos os seus componentes multitudinários através de um giro axial. Por esta razão, o valor mínimo de um Kin é um dia-e-noite, e o valor mínimo da Onda Encantada de 13 Kins é o mesmo que 13 dias ou 13 rotações da Terra sobre seu eixo. Por expansão fractal onde um Kin equivale a 28 dias, então, uma Onda Encantada equivale a 13 Luas, ou seja 364 (28×13) rotações da Terra sobre o seu eixo

Isto significa que, mediante a sintonia consciente com a Onda Encantada o componente auto-reflexivo do sistema planetário, a Noosfera, irá recapitular em ondas incessantes a cosmologia de 13 tons da Quarta Dimensão. É por isso, que a Onda Encantada é referida como uma cosmologia recapitulativa e recombinante e também como o modelo primário para o avanço evolutivo proporcionado pelos códigos do tempo da Quarta Dimensão. Compreender a Onda Encantada na sua totalidade é reconstituir as bases e categorizações epistemológicas do saber humano.

 

Pulsares

A Onda Encantada exibe uma arquitetura intrínseca, que é definida e articulada por códigos de pulsar. Na Quarta Dimensão do tempo, um pulsar refere-se a uma constante relacional no tempo que pode ser desenhada geometricamente. Os códigos de pulsar são o mecanismo mediante o qual ocorrem intercâmbios dinâmicos durante o momento de uma única Onda Encantada. (Para esta discussão ver: código de Pulsar, página 38 e a parte inferior traseira do Oraculo, do jogo do Encantamento do Sonho).

Na arquitetura da Onda Encantada há três movimentos essenciais: tons 1-4, estabelece; Tons 5-8, expande; Tons 9-12, converte; O 13º tom é lançado no “Vôo Mágico”, ou seja. leva o movimento para a próxima Onda Encantada.

A articulação do processo triplo ocorre, por fim, no 1º, 5º, 9º e 13º momentos da Onda Encantada. Estas quatro posições tonais criam o pulsar da Quarta Dimensão que, como tetraedro, envolve ou contém todos os outros movimentos pulsares.

Na sua arquitetura, qualquer Onda tem dois Portais, duas Torres e nove Câmaras. O primeiro tom é magnético e à posição chama-se Portal Magnético; É a entrada da Onda Encantada. Da mesma forma, o décimo terceiro tom é o cósmico, e sua posição cria o Portal de saída Cósmico da Onda Encantada. As duas Torres são ocupadas pelas quinta e nona  posições e são conhecidas como Torre Harmónica e Torre Solar. Assim, o pulsar de Quarta Dimensão é composto nas suas posições, pelo primeiro Tom Magnético, Quinto Tom  Harmónico, Nono Tom Solar e Décimo Terceiro Tom Cósmico, que são as Torres e os Portais da Onda Encantada.

Sendo do tempo e da mente, o pulsar do tempo de Quarta Dimensão unifica o propósito através do Comando, Ação Formalizada e Vôo Mágico. O pulsar do tempo também informa e regula os outros três pulsares, que constituem três planos triangulares interactivos. A actividade desses três planos triangulares interactivos é referida como a Terceira Dimensão ou plano físico da realidade. Na verdade, estes três pulsares compreendem as três primeiras dimensões, que funcionam, no entanto, como um todo único e que não se  podem considerar separadas do pulsar tetraédrico da  Quarta Dimensão que os informa e os contém. O estudo do pulsar de Quarta Dimensão é servido pela nova arte e ciência do cronomancia (ver acima).

Entre o Portal Magnético e a Torre de Harmónica, entre a Torre Harmónica e a Torre Solar, entre a Torre Solar e o Portal Cósmico há três sequências de Câmaras. Cada conjunto de três Câmaras em sequência forma um pulsar. Assim, cada pulsar possui uma unidade tonal em cada uma das três fases da Onda Encantada: Estabelecer (Galáctico), Expandir (Solar) e Transformar (Planetário).

Em ordem sequencial, as três Câmaras que se seguem imediatamente ao Portal Magnético de Quarta Dimensão e as duas Torres constituem o pulsar da vida lunar de Primeira Dimensão. Este Pulsar inclui: a segunda Câmara ou o Tom Lunar; a sexta Câmara ou o Tom Rítmico; e a décima Câmara ou o Tom Planetário. O pulsar da vida lunar de primeira dimensão engloba todo o reino das mudanças biogeoquímicas, que agora podem ser estudadas ou compreendidas como o domínio da geobiologia.

Código Pulsar – IMAGEM DA PAGINA 34 (36) DO LIVRO EM INGLES

A segunda ou a posição média dos três conjuntos de Câmaras constitui o segundo pulsar eléctrico da Segunda Dimensão. O pulsar de Segunda Dimensão inclui: a terceira Câmara ou o Tom Eléctrico; a sétima Câmara ou o Tom Ressonante; e a décima primeira Câmara ou Tom Espectral. O pulsar sensorial de Segunda Dimensão engloba todo o domínio psico-físico dos limiares electro sensoriais, que agora podem ser estudados ou compreendidos como o domínio da arte e da física.

O terceiro agregado ou final dos três conjuntos de Câmaras, ocupando as posições imediatamente anteriores às duas Torres de Quarta Dimensão e ao Portal Cósmico, constitui o pulsar mental auto-existente de Terceira Dimensão. O pulsar de Terceira Dimensão inclui: a quarta Câmara ou o Tom Auto-Existente; a oitava Câmara de Tom Galáctico; e a duodécima Câmara ou Tom Cristal. O pulsar mental de Terceira Dimensão engloba o reino de desenvolvimento mental e social, que agora pode ser estudado ou compreendido como o reino da ordem cósmica cooperativa.

Os Pulsares Harmónicos compreendem um segundo conjunto de pulsares. Os Pulsares Harmónicos são movidos pelo poder do quinto Tom, que na sua essência é uma função do Factor Mais Um e do código ponto-barra (veja acima). Para qualquer Onda, isso significa que há um pulsar de um ponto, incluindo posições tonais 1, 6 e 11; Um pulsar de dois pontos, incluindo as posições tonais 2, 7 e 12; Um pulsar de três pontos, incluindo posições tonais 3, 8 e 13; Um pulsar de quatro pontos, conectando posições tonais 4 e 9; E uma barra de pulsar, conectando as posições tonais 5 e 10. Enquanto os quatro pulsares definem os domínios inter-conectados de forma sincronizada das quatro dimensões, os Pulsares Harmónicos proporcionam estruturas de tempo transdimensionais.

Entre as posições tonais, os Portais, as Torres ou as Câmaras dos pulsares estão 15 vértices que, nas suas conexões, definem todas as possíveis relações dos tons entre si nas suas frequências dimensionais. Entre as posições tonais dos pulsares harmónicos estão 11 vértices. O número combinado de vértices de pulsares e de pulsares harmónicos que animam a dinâmica interna da Onda Encantada de 13 tons é precisamente 26 (13 x 2) (ver páginas finais). O estudo dos 26 vértices da relação tonal é fundamental para o desenvolvimento de tecnologias mentais interdimensionais, cuja capacidade de reformular eventos no tempo pode ser mais útil para lidar com os efeitos destruidores dos resíduos tóxicos, radioactividade e doenças como Sida e Cancro.

 

Cubo de Cores, Harmónicas e Células do Tempo

Na Quarta Dimensão do tempo, a harmónica refere-se a uma constante do código de quatro cores recorrente: vermelho, branco, azul, amarelo. A constante do código de quatro cores é literalmente harmónica porque o conjunto inclui os três valores de cores primárias – vermelho-amarelo-azul – do qual todos os valores secundários são derivados; e branco, que é o composto total do espectro de todos os valores prismáticos. As quatro cores combinadas estabelecem três conjuntos fundamentais de relações: antípoda, análogo e oculto.

Vermelho e azul, branco e amarelo formam os dois conjuntos de relações antípodas; Vermelho e branco, azul e amarelo formam os dois conjuntos de relações análogas; vermelho e amarelo, branco e azul formam os dois conjuntos de relações ocultas. Estes seis pares de relações – doze unidades de cores ao todo – são construídos geometricamente como um cubo de cor ou átomo de tempo galáctico, aqui as faces superior e inferior exibem em triângulos emparelhados as duas relações antípodas; Os lados , frente e detrás exibem em triângulos unidos as duas relações análogas; os dois lados laterais exibem em triângulos unidos as duas relações ocultas. Qualquer um dos oito ângulos  do cubo exibem um encontro de seis triangulações de cores. Quatro dos ângulos representam uma junção de cores dominante, onde três triangulações de mesma cor se encontram; os outros quatro pontos tornam-se uma ilusão de óptica, mostrando três lados de um tetraedro, sendo o “lado invisível” a cor que falta nesse ponto de triangulação. (Veja: Cubo de Cores, página 40 e Jogo do Encantamento do Sonho).

Cada uma das quatro faces laterais contíguas do interior do cubo de cores exibe cada uma das quatro constantes de cores no sentido anti-horário, começando com o vermelho à direita, depois o branco em frente, o azul à esquerda e o amarelo opondo-se ao branco. O solo do cubo de cor é a cor secundária verde, representando a Quinta Harmónica  e introduzindo o princípio da Cromática, que é o mesmo que a barra  do código ponto-barra (veja abaixo). O interior do topo do cubo de cor representa o átomo de tempo galáctico mostrado na posição direcional em que à esquerda, vermelho é leste e à direita, azul é oeste e em cima, branco é norte, e embaixo amarelo é sul; com o verde sustentando o centro.

Na sequência temporal, cada cor contém o valor mínimo de um Kin. Uma sequência de quatro cores codificada constitui o valor de uma Harmónica. Quando as quatro cores se combinam numa sequência de repetição com o código 0-19, cria-se uma trajectória harmónica, na qual existem cinco células de tempo, sendo cada célula de tempo uma harmónica completa com quatro cores. Dentro duma trajectória harmónica de cinco células de tempo, cada um dos 20 valores do código 0-19 adquire uma constante de cor codificada harmonicamente: os números de código 1, 5, 9, 13 e 17 são vermelhos; Os números de código 2, 6, 10, 14 e 18 são brancos; 3, 7, 11, 15 e 19 são azuis; 4, 8, 12, 16 e 20 (= 0) são amarelos. Disto, resulta a existência quatro “Famílias de Cores” de cinco unidades cada. Cada cor é associada a um verbo de instruções, cujo conjunto composto demonstra a natureza da ação harmónica no tempo: Vermelho, inicia; Branco refina; Azul, transforma; amarelo amadurece.

IMAGEM DA PAGINA 36 (38) DO LIVRO EM INGLES

Cubo das Cores – Um lado de fora planificado (Legenda)

Cada célula do tempo, consiste numa sequência de quatro números codificados por cores do código 0-19. Na numeração galáctica, os números codificados por cores são conhecidos como números do Código do Encantamento (veja: as costas das fichas Selos Solares, do Jogo Encantamento do Sonho). As cinco células de tempo em sequência criam uma curva de informação galáctica: célula de tempo Um Entrada: Informar; célula do tempo Dois, Armazém: Recordar, célula do tempo Três, Processo: Formular célula de tempo Quatro, Saída: Expressar; célula do tempo Cinco, Matriz: Auto-Regular. Como cada célula de tempo consiste numa harmónica codificada por cores, cada uma das cinco etapas da curva de informação galáctica também participa do processo harmónico, isto é, inicia, refina, transforma e amadurece.

Cada um dos números do código 0-19 da trajectória harmónica possui um número antípoda (sempre uma diferença de dez); Um número análogo (adicionado ao número de código de encantamento é sempre igual a 19); um número oculto (adicionado ao número de código de encantamento é sempre igual a 21). Disposto como um padrão com o número de códigos de encantamento no centro, o número análogo para a direita, o número antípoda para a esquerda, o número oculto abaixo e um quadrado vazio da mesma cor que o número de código acima, cria-se o padrão do oráculo de cinco partes.

Uma vez que existem quatro padrões para uma célula de tempo e cinco células de tempo para um giro harmónico, incluindo os 20 números do código 0-19, a disposição total de 20 padrões do Oráculo é colocada numa placa de cinco folhas, cada uma delas contendo uma harmónica completa de quatro oráculos: a célula do tempo da Entrada Vermelha está na folha direita; a célula do tempo do Armazém Branca está na folha superior, a célula do tempo  do Processo Azul, está na folha esquerda; A célula do tempo de Saída Amarela está na folha inferior; E a célula do tempo da Matriz Verde está na folha central. Estas folhas constituem o tabuleiro do oráculo do Encantamento do Sonho, a ferramenta da Quarta Dimensão para o desenvolvimento de poderes autónomos de adivinhação.

Para cada um dos 20 padrões do Oráculo, existem cinco possibilidades determinadas pelas mudanças da posição do Guia. As mudanças da posição de Guia são determinadas pelo movimento dos Pulsares Harmónicos através das 20 Ondas Encantadas do giro galáctico dos 260 kins. Existem uma centena de diferentes padrões de Oráculo, cinco pulsares harmónicos por Onda Encantada, cem por giro.

 

Cromática ou 5ª Harmónica

A Cromática ou 5ª Harmónica é, em princípio, uma aplicação do Factor Mais Um. Enquanto uma Harmónica consiste num conjunto de quatro unidades codificadas por cores em sequência, a Cromática Base é uma sequência codificada por cinco cores, onde a primeira e a quinta unidades são da mesma cor, e a sequência do Código de Encantamento da Cromática Base executa-se assim: barra, um ponto, dois pontos, três pontos, quatro pontos. Na da matriz do código 0-19, existem quatro cromáticas de cinco unidades cada (4 x 5 = 20), que são demonstradas pelas quatro colunas verticais do código 0-19. Dado que cada Cromática abrange na totalidade ou em parte duas células do tempo, a Cromática de cinco Kins representa o poder da circulação. Este poder de circulação é referido como “Harmónico” porque o quinto tom é sempre da mesma cor e valor que o primeiro tom; Portanto, o quinto sempre aborda o primeiro. Como o movimento das Harmónicas e Cromáticas é poli-sincrónico, o princípio do movimento e da circulação está garantido.

Devido à 5ª Harmónica, existem cinco células e não quatro células do tempo. Na curva de informação galáctica, a quinta célula do tempo assegura que a Matriz Harmónica se auto regule e sincronize durante o intervalo entre a Saída e a próxima Entrada. Na cosmologia dos 13 tons da Onda Encantada, a quinta posição é a Torre Harmónica que marca a transição entre o estabelecimento da forma Auto-Existente da força g e sua expansão para a nona posição da Torre Solar. Um vértice da quinta posição da Onda Encantada liga a Torre Harmónica com a décima terceira posição, o Portal Cósmico. O intervalo entre o quinto e o décimo terceiro é oito, o oitavo rácio que completa a relação de rácios das Ondas Encantadas 5:8 :: 8:13.

Movidas pelo poder do 13, as cinco células do tempo produzem as 65 Harmónicas do giro galáctico, mostrada como Tabuleiro da Viagem do Encantamento do Sonho, Índice Harmónico, a Bússola Galáctica e o livro dos Kins (veja abaixo). A fim de que as Harmónicas das Células do Tempo  completem a Cosmologia Galáctica, cada um dos quatro códigos numéricos do código do Encantamento do Sonho numa célula do tempo adquire um emblema icónico chamado o Selo Solar. Os ícones chamam-se Selos Solares porque as 20 frequências do código 0-19 referem-se ao ciclo da frequência solar da Quarta Dimensão do planeta que gera os 20 Kins. Este ciclo de 20 kins sela a Cronósfera durante cada rotação orbital do sistema planetário Terra, Kin após Kin, numa sequência interminável de giros harmónicos. Os “nomes” dos Selos Solares em sequência lembram uma cosmologia evolucionária multidimensional, descrevendo uma curva de memória universal e facilmente compreensível.

De acordo com a função de célula de tempo os cinco conjuntos de quatro selos solares são mostrados na página 42. Em combinação com cada um dos 13 tons da cosmologia recapitulativa da Onda Encantada, os 20 selos solares criam os 260 kins ou enzimas galácticas do giro galáctico. Cada Enzima Galáctica quadrimensional consiste numa interseção de três frequências: uma das quatro cores, um dos 20 ícones do Código do Encantamento e um dos 13 tons. Os 260 Kins são catalogados em 13 trajectórias harmónicas do Índice Harmónico e, através de 65 harmónicas do livro dos Kins, são transcritas como as 260 Assinaturas Galácticas autonomamente disponíveis para cada ser humano que opta por se tornar um  Kin planetário e entrar no Reino Noosférico de cidadania Galáctica.

 

 

 

 

 

 

 

Célula do Tempo Um – Vermelha: Informar – Entrada

Célula Vermelha do Tabuleiro do Jogo

 

 

 

Dragão Vermelho
Inicia a Entrada
Código do Encantamento 1
Vento Branco
Refina a Entrada
Código do Encantamento 2
Noite Azul
Transforma a Entrada
Código do Encantamento 3
Semente Amarela
Amadurece a Entrada
Código do Encantamento 4

Célula do Tempo Dois – Branca: Lembrar – Armazém

Célula Branca do Tabuleiro do Jogo

Serpente Vermelha
Inicia o Armazém
Código do Encantamento 5
Enlaçador de Mundos Branco
Refina o Armazém
Código do Encantamento 6
Mão Azul
Transforma o Armazém
Código do Encantamento 7
Estrela Amarela
Amadurece o Armazém
Código do Encantamento 8

Célula do Tempo Três – Azul: Formular – Processo

Célula Azul do Tabuleiro do Jogo

Lua Vermelha
Inicia o Processo
Código do Encantamento 9
Cão Branco
Refina o Processo
Código do Encantamento 10
Macaco Azul
Transforma o Processo
Código do Encantamento 11
Humano Amarelo
Amadurece o Processo
Código do Encantamento 12

Célula do Tempo Quatro – Amarela: Expressar – Saída

Célula Amarela do Tabuleiro do Jogo

 

 

Célula Azul do Tabuleiro do Jogo

Caminhante do Céu Vermelho
Inicia a Saída
Código do Encantamento 13
Mago Branco
Refina a Saída
Código do Encantamento 14
Aguia Azul
Transforma a Saída
Código do Encantamento 15
Guerreiro Amarelo
Amadurece a Saída
Código do Encantamento 16

Célula do Tempo Cinco – Verde: Auto-Regular – Matriz

Célula Verde do Tabuleiro do Jogo

Terra Vermelha
Inicia a Matriz
Código do Encantamento 17
Espelho Branco
Refina a Matriz
Código do Encantamento 18
Tormenta Azul
Transforma a Matriz
Código do Encantamento 19
Sol Amarelo
Amadurece a Matriz
Código do Encantamento 20(=0)
= a um giro Harmónico completo

 

Giro Galáctico

Quando as 20 unidades do código matemático 0-19 são executadas numa sequência contínua de trajectórias harmónicas projectadas através da unidade fractal da Onda Encantada, o resultado é o Giro Galáctico de 260 unidades (20 x 13), a descrição completa do movimento vortical do tempo galáctico. O resultado fractal desta sobreposição de 13 tons e 20 selos solares (ícones do código do Encantamento) é a demonstração completa da frequência 13:20: uma Onda Encantada de 13 unidades repetida 20 vezes em cinco sequências de quatro Ondas Encantadas cada uma.

O padrão de quatro Ondas Encantadas por cada uma das cinco sequências é um fractal harmónico de quatro selos solares por cada uma das cinco células do tempo. Para qualquer uma das cinco séries, cada uma das quatro Ondas Encantadas está codificada cromaticamente por uma das quatro cores da ordem harmónica: vermelho, branco, azul e amarelo. Assim sendo, há Cinco Ondas Encantadas Vermelhas onde a primeira, a quinta, a nona e a décima terceira posições são Vermelhas; Cinco Ondas Encantadas Brancas onde a primeira, a quinta, a nona e décima terceira posições são Brancas; Cinco Ondas Encantadas Azuis, onde a primeira, a quinta, a nona e décima terceira posições são Azuis; E cinco Ondas Encantadas Amarelas, onde a primeira, a quinta, a nona e décima terceira posições são Amarelas.

Enquanto a quarta harmónica movida pela quinta cromática (princípio da geração de células do tempo) gera os 20 padrões de destino do Tabuleiro do Oráculo, a mesma harmônica multiplicada pela quinta cromática gera as 20 ondas do Giro Galáctico dispostas como Cinco Castelos da Viagem do Encantamento do Sonho. Os castelos estão para as células do tempo, tal como as 20 Ondas Encantadas estão para os 20 selos solares (ícones de Código do Encantamento).

Como o Tabuleiro do Oráculo, o Tabuleiro do Jogo abre-se em cinco folhas. Cada uma das cinco folhas representa um dos cinco Castelos do Tempo. Cada um dos cinco fractais de 52 Kins (quatro Ondas Encantadas) do Giro Galáctico é um quinto da Jornada da Viagem perfeita, uma arquitetura harmónica completa e inviolável chamada Castelo. Assim como a Onda Encantada possui sua arquitetura tonal dinâmica, também as quatro Ondas Encantadas que recapitulam as quatro constantes da ordem harmónica criam as quatro posições direcionais que constituem a arquitetura perfeita de um Castelo de Tempo. Cada castelo consiste em 52 Kins, 13 Harmónicas e quatro Ondas, e é um fractal perfeito de todos os outros castelos.

Cinco Castelos de 52 Kins girando num circuito vortical comum produzem as 260 permutações da frequência de tempo 13:20. Cada uma das 260 posições dos cinco Castelos do Tabuleiro do Jogo é um Portal Galáctico que representa uma das 260 entradas possíveis da ordem da Quarta Dimensão da realidade para o sensório da Terceira Dimensão chamado o corpo físico ou o fato espacial e quais são escritos no Livro de Kins como uma das 260 Assinaturas Galácticas correspondentes. As 260 posições do Tabuleiro do Jogo contam para cada permutação de um dos 20 ícones solares com um dos 13 tons galácticos e quatro cores harmónicas da criação. O tempo é biologia. A única codificação de frequência tripla ocorre Kin após Kin, dia após dia, garantindo ao sistema total planetário uma impressão evolutiva diária.

A cor e a qualidade dos cinco castelos de tempo seguem a ordem das quatro constantes de cores harmónicas mais uma, o quinto harmónico. Enquanto o movimento de cores das células do tempo em relação uma à outra criam um curva de informação bio-solar galáctica, o movimento de cor dos cinco castelos em relação um ao outro criam um ciclo de informação evolutivo bio-galáctico. O ciclo de informação bio-galáctica descreve uma jornada evolutiva no tempo através de cujas cinco etapas a natureza do ser galáctico gira, cruza, queima, dá e encanta. Cada volta vortical do ciclo de informação evolutiva bio-galáctica do Giro Galáctico recapitula, como um todo fractal, uma cosmo-génese em andamento.

No seu nível mínimo de informação, o Giro Galáctico imprime a cronósfera planetária a cada 260 dias com o ciclo de informação de cinco partes da gênese dos Cinco Castelos. Como uma descrição fractal completa da frequência 13:20, a Jornada pode ser usada para trazer maiores equivalências fractais do tempo, por exemplo, aqui um Kin pode ser igual a um ano solar, então, cada castelo representa 52 anos e toda a Jornada de 260 anos (contando para trás a partir de 2013). Ou, um Kin, equivaler a 20 anos solares, um castelo de 1040 anos solares e uma Viagem de 5200 anos solares Ou, um Kin pode equivaler a cem anos solares, um castelo de 5200 solares e a Viagem de 26 mil anos, etc.

Tal como acontece com o Tabuleiro de Oráculo, no Tabuleiro da Viagem, o Castelo Vermelho Este do Girar está no lado direito, o Castelo Branco Norte do Cruzar está na parte superior, o Castelo Azul Oeste do Queimar no lado esquerdo, o Castelo Amarelo Sul do Dar está na parte inferior e o Castelo Central Verde do Encantamento está no centro. Dentro de cada um destes Castelos estão as suas Ondas Encantadas codificadas por quatro cores. Cada sequência de Ondas Encantadas descreve o funcionamento interno de um castelo específico na criação da cosmo-génese em andamento. De acordo com a harmónica de cores, a função do castelo e a viagem codificadas pelo selo solar amarelo na posição auto-existente da Onda Encantada Vermelha, os Cinco Castelos de quatro ondas estão  representada os na página 45.

Quando cada Kin do Giro Galáctico é igual a cem anos ou um século do Encantamento do Sonho, então as 20 Ondas Encantadas do Tabuleiro da Viagem mostram 26.000 anos (260 séculos) da actual espiral evolutiva em que o subcorpus humano surgiu para dominar o corpus de matéria viva que constitui o componente orgânico da biosfera de todo o sistema da Terra. Esta jornada evolutiva de 20 Ondas Encantadas – 26.000 anos  é referida como a “Génese do Encantamento do Sonho”, em que cada Onda Encantada corresponde a 1.300 anos, e toda a Génese está dividida em três partes, de acordo com o rácio evolutivo descendente 5:3 :: 3:2, onde “5” representa as dez primeiras Ondas ou 13,000 anos da Génese do Dragão, “3” representa as próximas seis Ondas ou 7,800 anos da Génese do Macaco; e “2” representa as últimas quatro Ondas ou 5.200 anos da Génese da Lua. O ponto culminante da Génese  Evolutiva do Encantamento do Sonho está identificado pelo Kin 164, Semente Galáctica Amarela (26 de julho) 2013. Por este motivo, o kit de ferramentas galácticas do Encantamento do Sonho é referido como “A Viagem da Nave Tempo Terra 2013”.

 

 

 

 

Castelo Vermelho do Leste do Girar: Corte do Nascimento

Célula Vermelha do Tabuleiro do Jogo
Dragão Vermelho
Onda Encantada 1
O nascimento inicia o Girar
Mago Branco
Onda Encantada 2
A atemporalidade refina o Girar
Mão Azul
Onda Encantada 3
A realização transforma o Girar
Sol Amarelo
Onda Encantada 4
O fogo universal amadurece o Girar
O Castelo Vermelho Inicia Semente: através do nascimento a Semente gira

Castelo Branco do Norte do Cruzar: Corte da Morte

Célula Branca do Tabuleiro do Jogo
Caminhante do Céu Vermelho
Onda Encantada 5
O espaço inicia o Cruzar
Enlaçador dos Mundos Branco
Onda Encantada 6
A morte refina o Cruzar
Tormenta Azul
Onda Encantada 7
A auto-geração transforma o Cruzar
Humano Amarelo
Onda Encantada 8
O livre arbítrio amadurece o Cruzar
O Castelo Branco Refina o Guerreiro: através da morte o Guerreiro cruza

Castelo Azul do Oeste do Cruzar: Corte da Magia

Célula Azul do Tabuleiro do Jogo
Serpente Vermelha
Onda Encantada 9
A força vital inicia o Queimar
Espelho Branco
Onda Encantada 10
O infinito refina o Queimar
Macaco Azul
Onda Encantada 11
A magia transforma o Queimar
Semente Amarela
Onda Encantada 12
O florescimento amadurece o Queimar
O Castelo Azul transforma a Estrela: através da magia a Estrela queima

Castelo Amarelo do Sul do Dar: Corte da Inteligência

Célula Amarela do Tabuleiro do Jogo
Terra Vermelha
Onda Encantada 13
A navegação inicia o Dar
Cão Branco
Onda Encantada 14
O coração refina o Dar
Noite Azul
Onda Encantada 15
A abundância transforma o Dar
Guerreiro Amarelo
Onda Encantada 16
A inteligência amadurece o Dar
O Castelo Amarelo amadurece o Sol: através da inteligência o Sol dá
Castelo Verde do Sul do Encantamento: Corte da Matriz

Célula Amarela do Tabuleiro do Jogo
Lua Vermelha
Onda Encantada 17
A Água Universal inicia o Encantamento
Vento Branco
Onda Encantada 18
O espirito refina o Encantamento
Aguia Azul
Onda Encantada 19
A visão transforma o Encantamento
Estrela Amarela
Onda Encantada 20
A elegância amadurece o Encantamento
O Castelo Verde sincroniza o humano: através da Matriz o humano encanta

 

Fractais Espectrais

Fractais espetrais são uma função especial das cromáticas aplicada à estrutura do Castelos e demonstrada no Castelo do Destino codificado por quatro cores e 52 unidades (consulte a página 47). Esta construção formal mostra a estrutura das Ondas Encantadas movida por quatro cores para criar a arquitetura do Castelo, que é o puro fractal do movimento criado pela força g, a 5ª Força Galáctica. O Castelo do Destino é usado como regra de cálculo fractal do tempo onde cada uma das 52 unidades ou Kins pode assumir diferentes valores numéricos. Por exemplo, se um Kin é igual a sete dias, então, o Castelo de Destino representa 52 semanas do ano solar de13 Luas e cada Onda Encantada um trimestre de 13 semanas.

Entendida como a sequência de quatro cores de qualquer uma das Cinco Famílias Terrestres, esta estrutura fractal pode ser usada para traçar qualquer ciclo de vida ou destino de 52 anos, daí chamar-se “Castelo do Destino”.

O uso mais especial do Castelo do Destino é uma descrição do fractal espectral. O fractal espectral descreve o giro das 52 Cromáticas – 260 Kins que em concorrência  simultânea com o Giro Galáctico. Assim como as Cromáticas de cinco Kins dão as Harmónicas de quatro Kins, seu poder de movimento através do poder de circulação da Força g, o fractal espectral “puxa” o Giro Galáctico através do vórtice temporal, giro após giro.

A 5ª Harmónica que rege a cromática é demonstrado na proporção de 1:5, do fractal espectral de um castelo para os cinco castelos do Giro Galáctico. O fractal espectral é constituído por 52 Kins onde cada Kin tem um valor de cinco (52 x 5 = 260). O fractal espectral pode ser visualizado girando como uma sobreposição sobre os cinco castelos do Tabuleiro da Viagem. Enquanto os 260 kins do Giro Galáctico trazem as equivalências dos Kins da  Quarta Dimensão correspondentes à rotação de 260 dias tridimensionais, o fractal espectral de 52 cromáticas representa um rácio de informação sintetizada, puramente quadrimensional em ressonância com um factor de sincronismo da  Quinta  Dimensão ainda mais sintetizador.

O fator tempo da quinta dimensão é o princípio das quatro estações “Galácticas” ou Espectrais Galácticas que descrevem os poderes criativos primários da quinta força. Embora cada espectro seja matematicamente um quarto da sequência de sincronismo primário, do ponto de vista da quarta Dimensão estas estações são perceptíveis como trajectórias cromáticas, sendo cada trajectória um quarto de todo um espectro cromático. Tal como uma das quatro Ondas Encantadas do fractal espectral, cada Estação Espectral (espectro) consiste em 13 Cromáticas de cinco Kins ou 65 Kins. O movimento da Quinta para a Quarta Dimensão das quatro Estações Galácticas coordenada os giros galácticos contíguos galácticas da Quarta à terceira Dimensão. É chamado um Fractal Espectral porque o puro estado quadrimensional da realidade é espectral (forma e luminosidade) ao invés de material (volume e massa). Em termos matemáticos, a diferença entre o espectral e o material é resumida na proporção 1:5, onde “1” é a forma espectral sintetizada e “5” a complexidade da estrutura molecular.

Enquanto o Giro Galáctico é constituído por um movimento de 65 Harmónicas numa combinação com os 13 tons da Onda Encantada, e considerando que o giro harmónico subjacente a estas harmónicas consiste em 20 ícones em trajectória contínua com codificação de cores desde do código do Encantamento número 1 Vermelho (Dragão) para Código do Encantamento

número 20 Amarelo (= 0) (Sol), a sequência de 52 Cromáticas Fractais Espectrais começa com o código Amarelo 20 (= 0) (Sol) e termina com o código Azul 19 (Tormenta).

IMAGEM DA PÁGINA 43 (45) DO LIVRO EM INGLÊS

CASTELO DO DESTINO

A Cromática é puramente uma função do padrão de movimento ponto-barra, na qual há quatro conjuntos de cinco unidades de cada, cada unidade é composta pela sequência: barra, um ponto, dois pontos, ponto três, ponto quatro pontos. Cada uma destas quatro séries ou Cromáticas representa  cada um dos poderes das quatro Estações Galácticas ou espectros, o princípio da quinta força  do Tempo consubstanciada no fractal espectral de sincronismo. Seguindo a forma do código numérico 0-19 e inclusive os selos solares codificados por cor que proporcionam as quatro Cromáticas com seu Tom. As quatro Cromáticas são:

Cromática Amarela do Fogo Sol-Semente, baseada no Espectro Galáctico Amarelo (código 0-4)

Estação do Amadurecimento; 13 por Fractal Espectral

Cromática Vermelha do Sangue Serpente-Macaco, baseada no Espectro Galáctico Vermelho (código 5-9)

Estação do Iniciar; 13 por Fractal Espectral

Cromática Branca da Verdade Cão-Mago, baseada no Espectro Galáctico  Branco (código 10-14)

Estação do Refinar; 13 por Fractal Espectral

Cromática Azul do Céu Águia-Tormenta, baseada no Espectro Galáctico Azul (código 15-19)

Estação do Tansformar;13 por Fractal Espectral

 

 

Cromática       Cromática       Cromática       Cromática

Amarela          Vermelha        Branca            Azul

Polar                                                                                                                           Coroa

Familia Terrestre                                                                                                             Recebe

 

Cardinal                                                                                                                    Garganta

Família Terrestre                                                                                                Transmite

 

Central                                                                                                                       Coração

Família Terrestre                                                                                                 Transmuta

 

Sinal                                                                                                                           Plexo Solar

Família Terreste                                                                                                             Recebe

 

Portal                                                                                                                         Raiz

Família Terrestre                                                                                                 Transmite

Clã                   Clã                   Clã                   Clã

Fogo               Sangue          Verdade          Céu

CROMÁTICAS – IMAGEM DA PAGINA 44 (46) DO LIVRO EM INGLÊS

 

No código 0-19 as quatro Cromáticas criam um giro polar a partir da barra na parte superior para os quatro pontos na parte inferior da sequência, daí que o código de encantamento dos ícones ou Selos Solares são referidos como os quatro “Kins Polares” (ver: A Figura da Pág. 47). Estes quatro Kins Polares, Serpente Vermelha (código 5), Cão Branco (código 10), Águia Azul (código 15) e Sol Amarelo (código 20 = 0) articulam as Ondas Encantadas Fractais Espectrais de 13 Cromáticas, 65 Kins de cor correspondente em quatro etapas. Existem três sequências de 20 Kins e quatro cromáticas cada uma e uma de cinco Kins e uma cromática, para um total de 65 Kins ou 13 Cromáticas por Onda Encantada. Para cada série de Kins Polares em combinação com os 13 Tons Galácticos, há quatro Tons que iniciam as quatro sequências diferentes num espectro de Onda Encantada de 65-kin, que são os seguintes:

Tom 3 Eléctrico: inicia 20 Kins para estabelecer o Espectro Galáctico

Tom 10 Planetário: inicia 20 Kins de expandir o Espectro Galáctico

Tom 4 Auto-Existente: inicia 20 Kins para transformar o Espectro Galáctico

Tom 11 Espectral: inicia 5 Kins para transportar o Espectro Galáctico

Para qualquer Onda Encantada do fractal espectral, Tom 3 inicia o Portal Magnético; Tom 10 inicia a Torre Harmónica; Tom 4 inicia a Torre Solar; e Tom 11 inicia o Portal Cósmico. Assincrónico com o Giro Galáctico de 260 kins, o fractal espectral literalmente marca o Giro Galáctico da seguinte maneira:

65 Kins Espectro Galáctico Vermelho, iniciado pela Serpente Vermelha, código 5 na terceira posição (eléctrica) da Onda Encantada 15 da Noite Azul (Castelo Amarelo).

65 Kins Espectro Galáctico Branco, iniciado pelo Cão Branco, código 10 na terceira posição (eléctrica), da Onda Encantada 20 da  Estrela Amarela (Castelo de Verde).

(Ocorre, sempre, um novo Giro Galáctico, no segundo Kin da terceira Cromática da primeira fase de 20 kins do Espectro Galáctico Branco.)

65 Kins Espectro Galáctico Azul, iniciado pela Águia Azul, código 15, na terceira posição (eléctrica) da Onda Encantada 5 do Caminhante do Céu Vermelho (Castelo Branco).

65 kins Espectro de Galáctico Amarelo, iniciado pelo Sol Amarelo, código 20 na terceira posição (eléctrica) da Onda Encantada 10 do Espelho Branco (Castelo Azul).

Observe que a relação entre o Código e Onda Encantada e a cor do Selo Solar e Onda Encantada é uma constante antípoda, ou seja, números de código e da Onda Encantada têm sempre uma diferença de10, e cores consistentemente antípodas Vermelho-Azul, Branco-Amarelo. Desta maneira, o fractal espectral demonstra os princípios equalizadores da Matriz Radial, enquanto ordenando a mente nnum movimento circulatório da Quinta para a Quarta Dimensão da força g.

 

Bússola Galáctica

Juntamente com o Índice Harmónico, a Bússola Galáctica é a demonstração mais cosmologicamente completa dos princípios matemáticos do tempo da Quarta Dimensão. Estas duas ferramentas são fractais co-equivalentes uma da outra, sendo uma radialmente circular, e a outra radialmente retangular, ambos traçando uma série completa de permutações do código e a frequência do tempo 13:20.

Como uma estrutura fractal pura, do centro para fora, a Bússola Galáctica proporciona uma descrição do movimento desde da sétima à primeira dimensão, bem como um meio de traduzir  esta informação numa sequência diária, ou calendário, de leituras de frequência ressonante. Do centro para fora, a Bússola Galáctica está organizada:

  1. O ponto Verde central da Bússola representa o ponto infinitesimal, de ressonância, a sétima dimensão; relação 1:260 (= 0).
  2. Emanando desde do centro até às quatro pontas é o aquartelamento primário espectral da luz ou luminosidade , da sexta dimensão. relação 1:65.
  3. O próximo círculo é uma banda de cinco cores – o anel do Castelo – que representa a quinta dimensão; relação 01:52.
  4. De seguida temos o anel das Ondas Encantadas apresentando 20 selos solares na sequência de 20 Ondas Encantadas da 4ª Dimensão tempo; relação 01:13.
  5. O próximo anel para fora é o anel dos dias, mostrando a sequência diária dos 20 selos solares que criam as equivalências dos kins do tempo tridimensional; proporção 1:1
  6. Em seguida, vem o anel dos 13 Tons, que cria a sequência diária de Onda Encantada, e que representa a segunda dimensão eléctrica dos sentidos; proporção 1:1
  7. O anel amarelo mostra a sequência tonal da 1ª Dimensão como uma onda solar periódica; relação 01:20
  8. Finalmente, o anel verde ultraperiférico traduz a onda solar periódica em 19 sequências: 18 de 20 dias cada e uma dos cinco dias, que correlacionam o ciclo da Terra com sua órbita anual em torno do sol, de acordo com ambos os calendários, o Gregoriano e o calendário das 13  Luas.

Dado que a Bússola Galáctica é calibrada pela frequência de tempo 13:20, está dividida em 20 arcos de 18 graus cada. Dado que a menor unidade da frequência 13:20 é o giro de 260 Kins, e dado que este giro consiste apenas em treze sequências de 20 dias, o anel externo verde corre 13 sequências, assim continua suas seis sequências finais correlacionadas directamente sob o ponto de entrada de Bússola, 07.26[1] (26 de julho Gregoriano = 01.01[2] primeiro dia da primeira das 13 Luas). Isto significa que depois de 260 dias está no ponto de retorno do giro, 04.12 (12 de abril Gregoriano = 10.09, nono dia da décima das 13 Luas). A partir deste dia, o giro galáctico “repete-se” e os Kins equivalentes ao final das seis datas correlacionadas coincidem com os seis primeiros.

[Nota: Aqui as datas que aparecem no anel externo, verde, são mostradas sem correlação com as 13 Luas na numeração “dia. mês”, ou seja, em vez de 07.26, como indicado acima, 26.07 é mostrado. Para uma cópia da Bússola Galáctica, vá para: Http://www.tortuga.com/rinri/wizards/index.html]

 

Bússola Galáctica

A Bússola Galáctica é responsável por 18.980 possibilidades de permutação de Kins. Estes 18.980 Kins constituem o Ciclo Galáctico de 52 anos solares. Por outras palavras o calendário galáctico leva precisamente 52 anos, até que de uma das 260 Assinaturas Galácticas caia novamente no mesmo dia do ciclo solar de 365 dias. Isso é demonstrado na  parte de trás da tabela da Bússola Galáctica. Na borda exterior da tabela estão os número 1-13 (representando os 13 tons Galácticos) combinados com um dos quatro nomes, que representam os quatro dos 20 selos solares que constituem a Família Terrestre Portal. Isto mostra o ciclo de 52 Portais Galácticos (Tom e Selo) que caem anualmente sobre a data Gregoriana de 26 de julho, ou dia Um da Lua Magnética do Calendário das 13 Luas. As tabelas também mostram este princípio de periodicidade de 52 anos, para uma série de cinco ciclos (1754-2013), o ciclo de 260 anos de transformação Biosférica.

Uma série similar de ciclos pode ser traçada para qualquer dia do ano, repetido anualmente em séries de quatro anos. Existem cinco séries que codificam os dias do ano que se chamam as Famílias Terrestres. Cada Família Terrestre é codificada como um conjunto de quatro Selos Solares com o mesmo número de pontos ou barras (veja acima: Castelo do Destino, código 0-19; também as Cromáticas, pag 47). Os quatro selos solares que se repetem para primeiro dia da Lua Magnética representam a Família do código de encantamento de quatro pontos, chamada Portal. Esta série de números de código (Lua Vermelha-9, Mago-14, Tormenta Azul 19 e Semente Amarela 4) de acordo com a cor completa, sempre, uma das quatro Cromáticas. Qualquer posição do disco no centro da Bússola irá definir uma das cinco Famílias Terrestres, quer sobre o disco da Onda Encantada ou o disco dos dias. Através do uso da Bússola Galáctica, qualquer ser humano pode começar a traduzir a sua realidade da Terceira para a Quarta Dimensão e, desta forma, participar da transformação da Biosfera para a Noosfera.

 

Índice Harmónico

Enquanto a Bússola Galáctica mostra a ordem radial do Tempo Galáctico nos seus rácios dimensionais uns com os outros, com o ciclo mínimo Solar Galáctico de 52 anos terrestres, o Índice Harmónico (ver página 52) é uma descrição perfeita da frequência de tempo auto-ressonante 13:20. Como um catálogo e calibrador, o Índice Harmónico armazena informações numa rede básica de 13 x 20 unidades, onde as linhas horizontais recebem os nomes e as cores dos 20 Selos Solares na sequência do Dragão Vermelho ao Sol Amarelo, e as linhas verticais correspondem aos 13 giros harmónicos criados por estes 20 ícones enquanto se movem pelos 13 tons galácticos.

Assim como os selos solares “tangem” uma vez por cada um dos tons galácticos num padrão que corresponde a periodicidade do rácio solar 01:20 disco amarelo da Bússola Galáctica, então os 13 tons executam em uma sequência de 20 Ondas Encantadas através da rede do Índice Harmónico. Esta sequência repetida de tons 1-13 corresponde ao disco branco 1-13 da Bússola Galáctica sendo movido 20 vezes em sua proporção de 1:1 com o disco dos dias. O giro harmónico de 20 selos solares, Dragão-Sol, corresponde ao disco branco dias da Bússola, que se repete 13 vezes na proporção de 1:1 com o disco dos tons da Bússola. Onde quer que 1 apareça no Índice Harmónico, indica um dos 20 Portais Magnéticos que abrem cada uma das 20 Ondas Encantadas. A sequência de Portal Magnético “1” designada no Índice Harmónico corresponde ao disco das Ondas Encantadas da Bússola, que vai do Dragão à Estrela.

 

Índice Harmónico – IMAGEM DA PAGINA 49 (51) DO LIVRO EM INGLÊS

 

No topo do Índice Harmônico estão as designações doa 13 giros harmónicos, com números dos Kins, 20 por giro, a ser correlacionados com a sequência de 260 Assinaturas Galácticas no Livro dos Kins. Codificados por cores na parte superior do Índice, da esquerda para a direita, está a sequência vermelho, branco, azul, amarelo e verde, representando os cinco Castelos posicionados acima das seus respectivos giros harmónicos e incluindo informações sobre sua Cor, número de Onda Encantada, números de Harmónica e números de Kin.

Ao longo do lado direito do índice a mesma codificação da Cor (vermelho, branco, azul, amarelo e verde) indica as cinco células do tempo, quatro selos na sequência de cor vermelho-amarelo, dentro de cada célula do tempo. Uma vez que as Harmónicas de quatro Kins se baseiam na célula de tempo, os Números Harmónicos são listados em sequência, cinco por giro harmónico, no topo de cada divisão célula de tempo do Índice Harmónico. Abaixo de cada número harmónico há um número numa faixa verde, que representa o número harmónico inverso.

A natureza radial do Índice Harmónico é mostrada na listagem numérica de harmónicas e suas inversas. Observe como os quatro cantos são inversos um do outro, num padrão diagonal que é a pura expressão da matriz radial. Seguidamente, veja que as células do tempo Vermelha e Verde são inversas uma da outra, enquanto a Branca e a Amarela também são, completamente, inversas uma da outra. A célula do tempo Azul cria os seus próprios padrões inversas. Da mesma forma, note que o Castelo Azul é constituído inteiramente pelo seu próprio inverso, enquanto os Castelos Vermelho e Verde, Branco e Amarelo também harmonicamente inversos um do outro.

Note-se que existem 65 Harmónicas, divididas em 32 conjuntos de harmónicos e suas inversos, cada par de números que soma 66 (65 + 1), e uma harmónica que é seu próprio inverso, a 33ª harmónica, que dobrada também é 66. Observe a posição da 33ª harmónica precisamente no centro da coluna central do giro da 7ª Harmónica. Como a Célula Azul do Tempo e o Castelo Azul do Oeste, o Sétimo Giro Harmónico é seu próprio inverso, todos os seus harmónicos sendo invertidos em si. Observe, também, que Harmónicas e Inversas também se unem de acordo com conjuntos de Giros Harmónicos emparelhados: o 1º e 13º, o 2º e 12º, o 3º e 11º, a 4º e 10º, 5º e 9º e 6º e 8º. Desta forma, a Matriz Radial é completamente expressa, caso contrário, aparece como um mero modelo ou tabela de permutação bidimensional.

Existem dois outros padrões indicados directamente na rede do Índice Harmónico. Começando de cima para baixo e em movimentos de cinco estão os Kins Polares: Serpente Vermelha, primeiro quinto; Cão Branco, segundo quinto; Águia Azul terceiro quinto; e Sol Amarelo quarto quinto. O Kin Polar está indicado nas posições de 3-10-4-11, articulando as três fases de 20 Kins e uma de 5 Kins de cada uma das estações ou espectros galácticos. Note-se que o giro da 13ª Harmónica está dividido entre os últimos nove kins da Estação da Serpente e o primeiro onze Kins da Estação do Cão. A conclusão da fase de estabelecimento da Estação do Cão é sempre nos primeiros nove dias do próximo giro Galáctico. A primeira “nova Estação” de qualquer giro começa sempre com Águia 3, Onda Encantada 5 no Terceiro Giro Harmónico.

O outro padrão indicado no Índice Harmónico é o “Tear das 13 Luas”. Este padrão indica uma sequência de 52 Kins referidos no Livro dos Kins, como Portais de Activação Galáctica (GAP days – Dias Verdes)[3]. Também me refiro ao “Tear das 13 Luas” como o “Tear dos Mayas” (1987) e a “Configuração do Terceto Binário” (1984). O padrão deste tear é mais uma demonstração do poder da Matriz Radial. Na realidade o tear consiste em 13 séries de dois pares de Kins correspondentes com uma relação de cor oculta entre si, daí se chamarem quartetos ocultos. A estrutura de cada Quarteto cria uma matriz equidistante de si mesma no Índice Harmónico, enquanto os números tonais de cada uma das quatro posições de qualquer um destes 13 quartetos soma  28.

Treze quartetos 28 vezes produzem uma soma tonal de 364. Por esta razão esta configuração é chamada o Tear das 13 Luas, pois no calendário das 13 Luas são 28 dias cada Lua, que perfazem um total de 364 dias, menos o Dia Verde “Mais Um”, que está englobada como ponto indefinível, no centro da 33ª Harmónica. Enquanto qualquer par de Kins ocultos no Índice Harmónico produzirá um padrão cuja soma é sempre 28, o padrão de Tear de 13 Luas distingue-se pela elegância de sua forma fractal, indicando uma relação radial entre a circulação orbital do tempo tridimensional, como um padrão de dias 364+1 e a matriz quadrimensional do Giro Galáctico de 260 Kins. A relação entre o padrão orbital da 3ª Dimensão e o padrão de 4ª Dimensão radial é pontuada pelos 52 dias GAP irá revelar mais pistas sobre a natureza do tempo e a transição evolutiva da Biosfera para a Noosfera.

Na essência, o Índice Harmónico em todos os seus padrões é um compêndio de categorias ressonantes e possibilidades de calibração radial. É uma prova e uma ferramenta para seguir os registos dos Kins mediante Cronósfera do planeta. Por sua vez, Como soma dos registos da frequência 13:20, a Cronósfera imprime estes registos no banco PSI à medida em que os seres humanos optem por assumir as suas entidades galácticas Como os seres humanos elegem a assumir suas identidades galácticas, de acordo com o livro do Kins, Banco PSI irá tornar-se correspondentemente mais activado. Como o banco Psi torna-se fica mais activa e a Cronósfera auto regularizar-se-á. à medida em que a Cronósfera se auto regula, a transição da Biosfera para a Noosfera aborda o seu clímax. Este é momento de culminante para o qual a os humanos foram projectados para catalisar a Terra para um reino de consciência luminosa além da descrição do presente.

 

O Pentágono Binário

O Pentágono Binário é uma função especial mega fractal de quinto tom harmónico usado para descrever:

  1. A função respiratória do total sistema estelar planetário (código galáctico Solar 0-19); e
  2. A progressão de sequências de bio mutáveis ou Génesis da actual espiral evolutiva (Génesis da Viagem do Encantamento do Sonho). O poder do quinto cria os cinco giros do Pentágono Binário. Em ambos os casos o Pentágono Binário é uma estrutura pentagonal (cinco ângulos, 72 graus cada), que pode ser vista como a progressão de cinco células perfeitamente codificados por cores de quatro unidades cada, e/ou como dois anéis, um exterior e outro interior.
  1. O Código Solar Galáctico 0-19 mostra a progressão dos Kins diários de acordo com a sequência cromática 0-19, codificada de acordo com as orbitas planetárias numa relação mútua, onde a sequência 0-9 vai desde o canto superior esquerdo até ao canto superior direito no disco verde exterior. Isto representa o movimento galáctico do planeta mais externo, Plutão, até ao mais inerior, Mercúrio, juntamente com os números de código correspondentes. O movimento solar do Código 10–19 prossegue no disco interior amarelo na direção oposta, do canto superior direito para o canto superior esquerdo. Cada par de números de código no anel interno e externo constitui uma relação de cor analógica. Este Pentágono Binário descreve tanto um sistema total, a relação dos planetas uns aos outros, como também, uma sequência diária na sua globalidade cosmológica;
  2. A Génesis do Encantamento do Sonho demonstra praticamente o mesmo desenho: cinco blocos de quatro unidades, sendo cada uma codificada por cor, dispostos em dois círculos, interiores e exteriores. Enquanto o Pentágono Solar  Galáctico descreve a sequência diária de 1:1; O Pentágono da Génesis descreve a sequência 01:13 das Ondas Encantadas. A progressão exterior decorre do Dragão (1) ao Espelho (10). O anel interior, seguindo o mesmo movimento como o anel exterior, descreve a progressão do Macaco (11) à Estrela (20). Enquanto a progressão exterior de dez Ondas Encantadas descreve a Génese Principal do Dragão, a progressão interna descreve a divisão fractal mínima da Génesis Primária em duas Génesis secundárias, a do Macaco e da Lua.

As três Génesis têm uma relação fractal mútua que descreve a ordem involuntária decrescente: 10:6 :: 6:4 (5:3 :: 3:2). O rácio descendente da involução explica a compressão do  no espaço para a compressão de tempo no espaço, que ocorre na Génese da Lua, onde 4=(10+6), ou 4=(16)=4 ao quadrado. As unidades dos conjuntos de pares nos anéis interior e exterior possuem um Código Antípoda  perfeito e uma relação de Cor entre si. A relação de unidades entre si e o todo exposta tanto pelo Código Solar Galáctico 0-19 como pela Génese do Encantamento do Sonho constitui uma flexão binária mínima (movimento aos pares de acordo com anéis interno e externo) da quinta harmónica organizada como um fractal pentagonal. Desta forma, o Pentágono Binário é uma medida fractal da ordem cosmológica de 1:1 do Sistema Estelar Planetário (analógico) e da sequência bio mutável 01:13 de “Génesis” (antípoda).

 

Imagem dos 20 Selos Solares – Página (52) 54 do Livro em inglês

 


[1]
Na Bússola galáctica, as datas são indicadas de acordo com a numeração usual em inglês, ou seja, primeiro mês e depois o dia. (Nota do Autor)
[2]
Note que a numeração corresponde à língua inglesa e deve ser lido “lua – dia”
[3]
Segundo iniciais em inglês (Nota do Autor)

 

Princípios Matemáticos da Quarta Dimensão

II. Princípios

Princípios Matemáticos da Quarta Dimensão

pacal votan

Matriz Radial

A Quarta Dimensão é matematicamente construída por uma matriz radial. Uma matriz radial é uma ordem auto-existente de rácios numéricos e harmónicos cujas unidades e proporções são geradas radialmente, e todas elas, sozinhas ou somadas, possuem uma relação radial entre si. Todas as matemáticas de Quarta Dimensão são radiais; Todas as matrizes radiais, são conjuntos de números inteiros. Não há números irracionais ou fracionários, mas sim conjuntos simples de fractais e proporções cujo poder de ampliação exponencial é infinito.

Na sua essência de fórmula, a matriz radial é demonstrada como o código de conceito galáctico 0-19. Neste código, como em qualquer matriz radial, existem ordens iguais de conjuntos simultâneos que se projectam de um ponto central infinito e indefinível e se projectam igualmente em todas as direções. Cada ordem de conjuntos consiste no mínimo de duas ordens antípodas igualmente projectadas, e as somas de todos os conjuntos de ordens antípodas, representadas por um conjunto de números e seus subconjuntos independentes das ordens antípodas, são iguais, por exemplo, no código 0-19, a soma é sempre 19.

A totalidade dos conjuntos radiais de ordens antípodas e os conjuntos de números a partir dos quais eles são construídos são referidos como uma matriz, a ordem de tempo auto-gerada subjacente como a Quarta Dimensão. Como a descrição matemática da matriz subjacente à ordem da Quarta Dimensão é radiactiva e auto-informada reciprocamente em todas as suas partes, o tempo não pode ser concebido como linear, nem pode ser dito que tem qualquer ponto inicial ou final.

IMAGEM

 

Fractais

As construções matemáticas radiais da Quarta Dimensão que descrevem transformações energéticas e informativas são puramente de natureza fractal, mesmo quando os tipos de geometria estão envolvidos. Os fractais são auto-existentes, holográficos e infinitamente vectoriais, mantendo suas proporções em qualquer magnitude da escala. Fractais são para a Quarta Dimensão, o que a geometria é para a Terceira Dimensão. Para a ciência na Terceira Dimensão, não há espaço sem matéria e energia; No entanto, o tempo sempre foi aberto a perguntas, pois, como Vernadsky aponta, “o tempo não é uma dimensão da geometria métrica”.

A ciência da matéria espacial de Terceira Dimensão é construída de geometrias que descrevem um mundo de sólidos de vários graus de complexidade, enquanto as equações algébricas são usadas para descrever as transformações energéticas dos diferentes estados elementais abrangendo o mundo em constante mudança dos sólidos. O tempo não pode ser descrito dessa maneira, nem pode dizer-se que pode ser descrito de forma vectorial.

No entanto, a partir da perspectiva da Quarta Dimensão, o espaço pode ser um ponto infinitamente localizável, ou um único ponto dado por um vector infinitesimal. O único ponto no espaço está em conformidade com o momento actual para qualquer número de ordens infinitas ser capaz de experimentar o Agora em qualquer ponto no espaço. Este ponto de espaço infinitamente localizável pode ser informado por várias séries de fractais cujas proporções produzem diferentes formas de informação. Esta informação é da natureza das frequências de tempo interactivas. As frequências do tempo são resultados de diferentes níveis de descargas de rácios que são expandidas como informações que regem diferentes estágios da mudança de sistemas evolutivos totais.

A série fractal disponível para qualquer momento ou conjunto de momentos pertencentes ao ponto infinitamente localizável no espaço estão sempre dependentes de variáveis de estágio evolutivo, desenvolvimento mental e consciência auto-reflexiva.

A partir destes dois corolários: as frequências de tempo e o tempo em si são compreensíveis apenas a partir de uma abordagem de sistemas totais; E até que haja uma capacidade auto-reflexiva de desenvolvimento mental, a ciência do tempo não pode ser devidamente elaborada. Por outro lado, o envolvimento da mente com a natureza da matriz de Quarta Dimensão e os fractais, que são facilitados por esta matriz, abrem a mente para sua evolução. Por outras palavras, não podemos falar de frequências e fractais do tempo sem falar sobre o avanço evolutivo da mente.

As próprias frequências do tempo, em relação aos fenómenos da Terceira Dimensão, são holograficamente inclusivas e projectam-se de níveis de ordem maiores e mais inclusivos para níveis de ordem menores. Embora seja uma banalidade falar da inseparabilidade do espaço e do tempo, ou do espaço-tempo continuo, na verdade  o tempo é o princípio de ordenação do espaço, e apenas como contentor do espaço (e não vice-versa) pode ser dito que é inseparável. Embora, de forma alguma, o tempo possa ser descrito a partir de fórmulas exclusivas de ciência e matemática de Terceira Dimensão, a matemática da Quarta Dimensão pode fornecer novos níveis sintetizantes de compreensão para lidar com as permutações matéria-energia do espaço da Terceira Dimensão (veja abaixo: Pulsares).

Na ordem quadrimensional, um número não é uma função quantitativa, mas um composto qualitativo, uma interseção precisa das possibilidades fractais, cujas diferentes texturas harmónicas e cromáticas abrem a mente às suas sensações. As diferentes proporções de fractais do tempo na Quarta Dimensão consistem na movimentação de somas de relações numéricas. A interação ressonante destas relações numéricas móveis constitui o meio mental palpável da matriz radial. Os diferentes conjuntos de rácios fractais aninhados entre si, definem os níveis igualmente infinitos de ordem criativa incessantemente gerados pela matriz.

A unidade fractal chave da Quarta Dimensão é conhecida como Onda Encantada, que é definida como uma cosmologia auto-existente de 13 unidades (Kins). As unidades numéricas chave envolvidas na criação constituinte da Onda Encantada de 13 kins são: 4, uma composição das três primeiras ordens do número, que estabelece a ordem auto-existente; 5 (4 + 1), o que traz o poder de som da Força G; E 13 (4 + 5 + 4), que é o tom cósmico informando o quinto; Entre o quinto (4 + 1) e o décimo terceiro (9 + 4) ordens está o 8, o intervalo fractal logarítmico entre 5 e 13 (5 + 3 = 8, 8 + 5 = 13). Daí o rácio chave da Onda Encantada: 5:8::8:13 (veja abaixo: Onda Encantada).

 

Rácios

Assim como as geometrias da Terceira Dimensão produziram descrições de sólidos em todas as suas flutuações energéticas, mesmo sendo estes sólidos sejam apenas partículas subatómicas, os fractais da Quarta Dimensão produzem diferentes conjuntos de rácios que informam as frequências do tempo a todos os níveis de operação. Os rácios dependem e são coordenados pelo número de ordens da matriz radial e fornecem o conteúdo informativo dos diferentes fractais. Finalmente, os rácios descrevem as diferentes capacidades das frequências do tempo e as ordens sensoriais da experiência humana.

Os rácios matemáticos cujas proporções permanecem constantes em toda escala criam equivalências fractais com eles mesmos em diferentes magnitudes de escala ou com outros conjuntos de fractais. No exemplo da Onda Encantada, o rácio constituído, 5:8 :: 8:13, permanece constante quer a unidade do Kin da Onda Encantada seja o equivalente a um dia, uma lua, um ano, etc. Como o número, todos os rácios são de natureza mental e são complementadas ou aumentadas por ordens analógicas de metáfora. Assim como a mente é o substrato e o superstrato da realidade, também a Quarta Dimensão é o substrato e o superstrato da Terceira Dimensão.

A ordem de condição mental do tempo não é menos real ou irreal do que os estados tradicionais, sólidos, líquidos e gasosos da Terceira Dimensão. Como uma ordem mental, o tempo e a Quarta Dimensão são um estado ou condição abrangente e permeável, substituindo os estados físico-químicos líquido, sólido e gasoso, informando todo o espectro de transições de energia eletromagnética como a Terceira Dimensão. Por outras palavras, como a soma das expressões de rácios da ordem mental galáctica, o tempo é, na realidade, a origem das mudanças físico-químicas de Terceira Dimensão, seu agente de transmutação e sua conclusão transformacional Noosférica.

No desenvolvimento completo da ciência pulsar da  Onda Encanada em todas as suas permutações de rácios, encontra-se o complemento da Quarta Dimensão completo das ciências biofísicas e geoquímicas de Terceira Dimensão. A “escala” de rácios é fornecida pelo “Índice Harmónico” que exibe toda a gama de permutações dos 260 Kins que definem as enzimas interdimensionais galácticas, bem como os 32 conjuntos binários de harmónicas, mediante as quais a biologia galáctica se ordena num sistema auto-organizado de quatro unidades chamado Harmónicas.

 

O Tetraedro e a Ordem Tetraédrica

O tetraedro, a forma geométrica primitiva encontrada naturalmente nos estados cristalinos, é o agente de informação e a energia transduções entre a Terceira e Quarta Dimensões. A partir da Quarta Dimensão o tetraedro facilita a transdução de energia de rácio em Quântica tridimensional; a partir  da Terceira Dimensão o tetraedro facilita a transdução da informação quântica em energia de Quarta  Dimensão, que é, por natureza, espectral ao invés de material. Os fenómenos espectrais da Quarta Dimensão são caracterizados pela forma e luminosidade mas sem volume e massa.

Como unidade organizativa formal da Quarta Dimensão, a estrutura do tetraedro subjaz e informa os rácios da Onda Encantada e as “geometrias” do pulsar. A cada um dos quatro pontos do tetraedro correspondem à primeira, à quinta, à nona e à décima terceira posições da Onda Encantada. A unidade no tempo destas quatro posições da Onda Encantada condiciona as propriedades quadrimensionais do tetraedro. Os três conjuntos restantes de três unidades da Onda Encantada estabelecem três planos interactivos, triangulares de tempo unidos por um ponto em comum. Este ponto é o quinto invisível ou “Mais Um” do interior do tetraedro, do qual se projectam quatro vértices que terminam em cada um dos quatro pontos visíveis do tetraedro. Este ponto central também representa o canal do rácio da força g entre o ponto infinitamente localizável do espaço tridimensional – o Agora – e as ordens superiores da Quarta e Quinta Dimensões do tempo e da mente galácticos.

A Ordem Tetraédrica refere-se ao uso do tetraedro na descrição e construção de outras formas de holon, por exemplo,  o holon icosaédrico do planeta. Na realidade, todas as formas geométricas clássicas são derivados tetraédricos; da mesma forma o núcleo e a estrutura da Terra como um sólido são cristalinos na origem e de natureza de uma complexa ordem tetraédrica. Assim como a redução geométrica final de Quântica  é um tetraedro, também a condensação mínima de informações da Quarta Dimensão  são um tetraedro. Como soma de todas as possibilidades geométricas formais, a esfera contém o tetraedro no seu núcleo.

 

O Factor “Mais Um”

O Factor Mais Um (+ 1) é o princípio matemático da recirculação do tempo como um vórtice espiral. Sem o Factor Mais Um, haveria uma paragem plena, uma partitura musical constantemente regravada com um início esquecido e um final não desejado, na melhor das hipóteses, resolvida como tipo de ordem entrópica irremediavelmente complexa que civilização humana tridimensional agora exibe. O Factor Mais Um transforma uma órbita móvel sobre uma superfície plana no espaço num vórtice no tempo.

Mais Um representa o poder harmónico da força g (4 + 1). Em termos de relatividade, afirma-se a fórmula para o tempo: T = f (E = MC ² + 1). Tempo é uma função da velocidade da luz mais um; dizendo corretamente, a luz é harmonizada pelo tempo. Ao trazer a harmonia, a ressonância interdimensional – força g, o Factor Mais Um coloca qualquer fenómeno da Terceira Dimensão medido por instrumentação tridimensional, mesmo a luz, na sua condição de Quarta Dimensão imensurável e intangível, onde a mutação é uma opção realizável.

No código galáctico 0-19, ponto-barra, O Factor Mais Um é representado como a passagem da equivalência de quatro pontos do número quatro, ou a ordem do quarto, para a equivalência de barras de cinco ou a ordem do quinto. Na fórmula de cores das Harmónicas, Vermelho-Branco-Azul-Amarelo, o Factor Mais Um produz a quinta cor, Verde, resultando numa quinta célula do tempo. No tetraedro, os três lados automaticamente criam o Factor Mais Um, o quarto lado; enquanto os quatro pontos procedem tacitamente de um quinto ponto interior, o Factor Mais Um que mantem unido o tetraedro.

O Factor Mais Um é o poder do tempo para transmutar formas complexas, para além do seu ponto de estase entrópica. Enquanto 12 é um número complexo de perfeição cristalina, ainda que estática, O Factor Mais Um produz o 13, um número primo, que representa o poder galáctico da recirculação vortical[1] do tempo. Da mesma forma os 32 conjuntos de harmónicas binárias produzem 64, combinando o conjunto de 64 codões do ADN, que, como o complexo 12, produz uma paragem; 64 + Mais Um, a 33ª Harmónica que não tem par , produz 65 (13 x 5), que representa o poder interdimensional da força g para revigorar o corpus da matéria viva, para além de si mesmo na sua próxima etapa evolutiva.

Treze Luas perfeitas de 28 dias cada produzem 364. Como 12, 32 e 64, 364 é um número ainda mais complexo, também representado como 52 x 7, o número de semanas num ano solar; 364 + Factor Mais Um produz 365, dia Verde, que está fora dos dias do calendário, (5 x 73), o número total de dias da órbita solar da Terra, garantindo o ciclo de 13 Luas, o poder de re-circulação vortical. Este poder de re-circulação é demonstrado pelo facto de que o ano solar-galáctico segue a sequência harmónica sempre em mudança dos anos vermelhos, brancos, azuis e amarelos.

Em Resumo: Os princípios matemáticos da Quarta Dimensão que regem o tempo e as frequências do tempo das ordens de sistemas totais são:

  1. Radial consiste, portanto em conjuntos radicalmente não-lineares, de harmónicas de  padrões de número inteiros, operando como
  2. Uma Matriz, uma construção de número inteiro auto existente e auto-gerado cujo poder do movimento é
  3. Fractal, cujas configurações de números capazes de consistência simétrica através de escala; Fractais são construídos de
  4. Rácios, que trazem as informações através de conjuntos de proporções constantes;
  5. O Tetraedro é a forma geométrica mínima com capacidade máxima de suporte de informação; ao mesmo tempo
  6. O Factor Mais Um resolve todas as ações e garante a re-circulação contínua de informações como um continuum de vórtice sem começo nem fim.

[1]
“De vórtice” (Nota do Autor)

A Quarta Dimensão: Qualidades e Natureza do Tempo

II. Princípios

A Quarta Dimensão: Qualidades e Natureza do Tempo

pacal votan

  1. Assim como o ar é a atmosfera do corpo, também o tempo é a atmosfera da mente. Se o tempo em que vivemos é composto de meses e dias irregulares, regulados por minutos e horas mecanizadas, então é isso que acontece à nossa mente: uma irregularidade mecanizada. Uma vez que tudo sai da mente, não é de admirar que a atmosfera em que vivemos diariamente se torne mais poluída, e a maior seja queixa: “Eu simplesmente não tenho tempo suficiente!” Quem possui seu tempo, possui sua mente. Possua o seu próprio tempo e conhecerá sua própria mente.
  2. O tempo que é Quarta Dimensão tem duas características essenciais: mental e estética. O tempo é mental porque é experimentado e conhecido através da mente. A cultura mental é básica para a experiência do tempo. O tempo é estético porque consiste em diferentes níveis totais de ordem cujas proporções e relações são consistentes em toda a escala, cada nível ou ordem  reflete-se holograficamente em todos os outros. A contemplação estética e a actividade artística são objecto e reflexão expressiva do tempo. Como a mente é a raiz do tempo, as proporções sensoriais da experiência artística são a expressão do tempo.
    Devido à sua imersão inconsciente no nível de espaço na terceira dimensão, conhecido como plano material, a humanidade do subcorpus como espécie ou todo colectivo ainda não compreendeu nem aumentou o nível de operação consciente da Quarta Dimensão. A participação inconsciente na Quarta Dimensão é comum através de sonhos e estados relacionados, bem como as variedades de expressão artística, muitas vezes mal tolerada. A experiência do tempo como Quarta Dimensão não nega, mas melhora e dá contexto ordenado à experiência sensorial da Terceira Dimensão.
  3. A Quarta Dimensão é frequentemente associada ao estado pós-morte. Pode-se perguntar: É ou não, uma contradição falar da experiência viva do tempo como  Quarta Dimensão, e ainda falar da Quarta Dimensão em referência ao estado após a morte? Não há contradição. Tal como o espaço penetra em todos os sólidos, o tempo como Quarta Dimensão permeia tanto os estados vivos quanto os pré-nascimentos e pós-morte que se estendem além do corpus vivo.
    Dentro do Reino do estado físico ou Terceira Dimensão, a penetração do tempo é conhecida e experimentada como “o Agora”. Há apenas um agora e ao mesmo tempo, um número infinito de agoras para um número infinito de seres. Neste momento do agora, que não tem nenhuma medida e é intangível, experimentado através da mente, no entanto, capaz de acelerar a excitação nervosa e consciência através dos sentidos, não difere da experiência de um portal de abertura para com o estado pós-morte. É verdade que existe um reino de experiência quadrimensional que separa a experiência cotidiana do corpo tridimensional. No entanto, só tu podes acessar esse reino através do cultivo da mente no “Agora”. A chave para cultivar o estatuto de “actualidade” técnica é tratada como “Prática de igualdade Universal da consciência” (ver apêndice).
  4. Do ponto de vista da Quarta Dimensão, as distinções feitas entre os vivos e os não-vivos são funções do dualismo da mente fomentadas pela dependência exclusiva dos métodos da ciência de Terceira Dimensão, que reforçam os padrões de pensamento errado já existentes, em crenças não examinadas sobre “vida” e “morte”. Uma vez que a arte e a ciência do tempo de Quarta Dimensão são devidamente compreendidas e praticadas, as crenças, distinções e práticas da Terceira Dimensão, comuns e correntes, relativas à vida e à morte, serão amplamente alteradas.
  5. O espaço é material ou sensivelmente tangível, o tempo é mentalmente tangível. O espaço é a Terceira Dimensão. O tempo é a Quarta Dimensão. Em relação ao espaço, o tempo é intangível e imensurável. Em relação ao tempo, o espaço é um ponto infinitamente localizável. Embora o tempo possa ser intangível e imensurável pelos padrões de espaço em Terceira Dimensão que são finitos e auto-limitantes, dentro dos padrões da Quarta Dimensão, o tempo tem suas estruturas que, sendo infinitas, são definidas por proporções e relações, em vez de serem equações e geometrias de formas limitativas. Estes índices e proporções de tempo na Quarta Dimensão serão tratados com a totalidade, seguindo a descrição cronomantica das três ordens totais universais.
  6. Os três conjuntos universais que dão ordem ao tempo de Quarta Dimensão são o Galáctico, o Estelar e o Planetário. Cada uma dessas ordens é uma projeção holográfica dos outros. Tempo como Quarta Dimensão move-se da maior escala para a menor. O conjunto de maior escala é a Galáxia ou a Ordem Galáctica. O que experimentamos astrofisicamente através dos nossos olhos e de instrumentos da Terceira Dimensão é meramente o aspecto físico ou capa exterior do todo galáctico. Como uma multidão de subconjuntos de diferentes sistemas estelares que, no entanto, mantêm uma relação ressonante entre si e com o todo, a própria ordem galáctica é mantida pelo princípio de ordenação de Quarta Dimensão do tempo. A forma espiral típica da Galáxia é uma reflexão estética tridimensional do sistema de ordenamento quântico, que é infinitamente estético e mental de origem e natureza.
    As descrições das origens e conclusões finais (big bangs e buracos negros) são apenas projeções da mente da Terceira Dimensão imersa na sua crença dualista em manter uma distinção entre vida e morte. Tempo como Quarta Dimensão é sem começo ou fim. Existem apenas ciclos dentro de ciclos dentro de ciclos. Os ciclos apenas definem níveis e estágios de impermanência, que é a principal característica de todos os fenómenos do terceiro plano físico. O Ciclo Planetário está contido dentro do ciclo estelar; O ciclo estelar está contido dentro do ciclo galáctico; O Ciclo Galáctico está contido dentro do todo universal; O todo universal é uma criação mental auto-criada e auto-sustentável para além da nossa actual capacidade de entendimento.
  7. O Planeta Terra não é uma nave espacial, mas sim, uma Nave do Tempo. Uma nave espacial, definida como um objecto que segue uma trajectória no espaço, no entanto, experimenta e é limitada pelo tempo. Não importa o quão longe “a nave espacial é pensada para viajar, não pode, no entanto, escapar às variáveis de tempo que condicionam sua impermanência. Mesmo a “imobilidade” vive o tempo. Tudo o que qualquer objecto da Terceira Dimensão pode fazer é manter o seu próprio espaço. Mesmo uma nave espacial navegando pelo espaço deve manter seu próprio espaço objectivado. Uma nave espacial viaja no espaço. Suas capacidades são finitas; Seus objectivos são auto-limitados. Uma Nave do Tempo viaja no tempo. Suas capacidades são infinitas; Seus objectivos são incomensuráveis.
    Uma nave espacial que apoia a vida é ainda limitada pelo seu espaço finito a um limiar de propagação e multiplicação de espécies para além das quais só podem existir três escolhas: estase[1], autodestruição, bio-mutação. (Veja Postlude: Constante de biomassa de Vernadsky: uma Equação no Tempo.)
    Um planeta é um simples objecto movendo-se no seu próprio espaço. Girando no seu próprio poder, um planeta mantém seu próprio espaço como uma órbita em espiral em torno de um corpo estelar. Através da ressonância com sua ordem estelar, um planeta torna-se uma Nave do Tempo. Uma Nave do Tempo mantém seu espaço para permitir uma experiência consciente dos índices infinitos e dos ciclos do tempo. Se as principais características ou qualidades do tempo são mentais e estéticas, uma nave planetária é aquela que possui uma inteligência capaz de se criar numa ordem ou sistema estético total mentalmente concebido e projectado. Isso é possível porque o tempo é uma ordem mental superior que engloba e se move através dos três níveis universais ou globais – O Galáctico, o Estelar e o Planetário.
    Através da auto-reflexão consciente, o conjunto planetário mais pequeno pode experimentar e conhecer holograficamente os outros dois níveis, o Estelar e o Galáctico. Uma nave planetária do tempo pressupõe um tipo de Biosfera capaz de se transformar em  Noosfera e uma Noosfera capaz de manifestar um Banco PSI. A existência de um próprio Banco PSI pressupõe uma intencionalidade inteligente existente num nível  mais além e que precede a evolução da Noosfera e do Banco PSI e capaz de instrumentar um campo de memória universal a ser lançado em diferentes etapas através da frequência de tempo galáctica, 13:20.
  8. O corpo da Quarta Dimensão de uma nave planetária é conhecido como o Holon. O Holon é o termo dado a toda a ordem ou estrutura do tempo da Quarta Dimensão, seja nos níveis galáctico, estelar ou planetário. Cada Holon em cada nível possui os mesmos rácios e propriedades fractais, e, portanto, um campo comum de ressonância pode ser estabelecido a partir dos níveis planetário para o galáctico. A estrutura do holon planetário, pode ser considerada como o esqueleto da Quarta Dimensão do planeta, é um padrão icosaédrico ou de 20 lados. Cada um destes 20 lados ou facetas é, na realidade, uma forma tetraédrica. Reduzida aos seus elementos essenciais, qualquer holon tem como estrutura subjacente o tetraedro, a forma geométrica primária e essencial.
    Como o nível galáctico é a soma de um subconjunto de sistemas estelares, e o nível estelar é a soma de um subconjunto de sistemas planetários, de modo que o sistema planetário é a soma biogénica de um subconjunto de espécies e ordens inertes  que interagem entre si. Nos três níveis totais, os subconjuntos de interação criam e são determinados por campos de ressonância. Um campo de ressonância pode ser entendido inconscientemente ou conscientemente. Em última análise, a consciencialização de um campo planetário de ressonância é uma questão de livre arbítrio. Ou seja, a questão de transformar uma biosfera em uma noosfera é uma questão de escolha da inteligência das espécies planetárias dominantes. Fazer essa escolha é activar o holon ou a nave do tempo planetário, para transformar a Biosfera na Noosfera e trazer à manifestação consciente o Banco PSI.
  9. A cronósfera é o campo da Quarta Dimensão criado pelo holon de um planeta em ressonância com a rotação do corpo do planeta na Terceira Dimensão. A unidade básica quadrimensional da cronósfera é o Kin, o padrão de tempo planetário que corresponde à duração de uma única rotação do eixo, um dia e uma noite. Uma única rotação de um dia ou outro. O Kin, é o registo de uma pulsação biosférica de um único organismo total, o planeta. Como um Kin é uma unidade de Quarta Dimensão, suas propriedades holográficas são infinitas. Desta forma, embora um Kin seja o registo de uma única pulsação biosférica, devido às suas propriedades holograficamente ressonantes, a informação contida num Kin pode ser infinitamente expansiva e holograficamente totalmente incluída.
    Através da pulsação de sequências dos Kins, definidas pelas 260 unidades da rotação galáctica da Quarta Dimensão (veja abaixo), a Cronósfera Planetária é a forma encapsulante que contém as propriedades portadoras de informação do Banco PSI. Como forma da Quarta Dimensão no tempo do holon planetário, a cronósfera expande-se do núcleo planetário até 64.300 Km, abrangendo a bainha magnética. A Cronósfera é a constante de informação que mantém o Banco PSI no lugar dentro da noosfera. A forma e o padrão do Banco PSI estão em conformidade com o padrão galáctico diário e cíclico da cronósfera.
    Através da duração no seu espaço, a cronósfera constrói sua informação ou energia livre em progressão geométrica, correspondente à evolução e à expansão da matéria viva planetária e à transformação ecologicamente impactante e bio-geológica das espécies humanas no sistema planetário total. Essa acumulação de informação/ energia não utilizada e, portanto, inconsciente, pode ser catalisada no ponto de transição biosférico-noosférico para auxiliar na mutação rápida das espécies e, portanto, de toda a ecosfera para que o Banco PSI se possa manifestar e o próximo nível evolutivo seja facilmente alcançado. Uma vez que a Noosfera planetária e o Banco PSI são activados, a cronósfera torna-se auto-reguladora, de modo a que o próprio planeta possa evoluir para um todo estético conscientemente realizado.
  10. À energia livre acumulada pela cronósfera chama-se força g ou a quinta força. Um planeta consciente no tempo renova-se na força g. É a fonte de energia galáctica infinitamente renovável. A força g é a média dos feixes de sincronização galáctica, que aparecem de acordo com os códigos galácticos do tempo. A força g disponível aumenta com o aumento da sincronização do organismo biosférico planetário único, Kin após Kin. A força g é a energia transmutativa que facilita a interação e a reciprocidade interdimensional. A energia da Quarta Dimensão é uma informação quadrimensional Quarta dimensão. Ao estudo e a compreensão das variedades destas interações transmutativas referimo-nos como crono-biologia.
  11. A crono-biologia, tal como é compreendida actualmente, refere-se ao estudo dos efeitos do tempo nos sistemas vivos, especialmente ritmos e ciclos. Do ponto de vista do tempo na sua própria dimensão, a crono-biologia refere-se à extensão interdimensional das formas tridimensionais vivas e conscientes das suas correspondências na Quarta Dimensão. Do mesmo modo, a crono-geologia refere-se ao estudo do planeta, alargado aos ritmos e padrões da Quarta Dimensão. Assim como um planeta de Terceira Dimensão tem o seu Holon e a cronósfera da Quarta Dimensão, também a unidade humana de Terceira Dimensão possui o seu holon e a cronósfera da Quarta Dimensão. A realização do futuro evolutivo dos sistemas totais planetários requer que a realização da espécie humana seja feita através de uma  realização igual de cada unidade de Terceira Dimensão numa relação consciente com o seu holon da Quarta Dimensão. À medida que o indivíduo se torna mais colectivo, o colectivo se torna mais individual. A comunhão de holons individuais é alcançada na identificação total das unidades de holon individuais com o holon do planetário. Esta condição é referida como “Ascensão Universal” (ver Apêndice 2).
    Actualmente, a raça humana está quase universalmente inconsciente da relação exacta de seu corpo com o seu Holon, e a crono-biologia é, na melhor das hipóteses, um estágio primitivo de desenvolvimento. No entanto, com o conhecimento actual da codificação do ADN combinado com a estética ambiental e libertação da frequência de tempo 12:60, o campo da crono-biologia pode avançar rapidamente. Na essência, enquanto o código de ADN reconhece 64 codões e 20 aminoácidos utilizáveis, o código crono-biológico engloba esses blocos de construção biológica de Terceira Dimensão dentro de um código de enzima galáctica de 26 unidades denominado “Assinaturas Galácticas” (ver abaixo). Na cronósfera, as 260 enzimas ou Assinaturas Galácticas são “alimentadas” pela força g e esta é a energia disponível para os seres humanos que assumem suas Assinaturas Galácticas e se tornam Kins planetários. Uma vez que o Banco PSI contém os registos das 260 enzimas, o ser humano como Kin planetário tem a oportunidade de interação criativa com o Banco PSI e pode tornar-se um factor na realização de sua activação consciente.
  12. A cronomância é a ciência e a arte do tempo da Quarta Dimensão considerada como um sistema total, onde a ciência é o conhecimento e a arte é prática. A cronomância tem aplicação específica como uma compreensão intrinsecamente divinatória e de oráculo de eventos definidos na estrutura holográfica do sistema de informação interdimensional que liga os três níveis: galáctico, estelar, planetário.
    O termo oráculo é usado aqui no sentido de uma comunicação autorizada, cuja informação é imediatamente aplicável. A adivinhação refere-se ao processo de percepção intuitiva directa pela qual a comunicação do oráculo é obtida. Devido à descoberta das provas matemáticas da Quarta Dimensão, bem como a sua demonstração mediante uma forma empírica disponibilizada universalmente, como os códigos do Encantamento do Sonho do tempo galáctico, o método de adivinhação do oráculo da cronomância é tal que não pode ser usurpado por um sacerdócio ou um elite, como foi o caso de todos os sistemas de conhecimento históricos, incluindo a ciência 12:60. Em vez disso, cabe a cada humano como uma unidade autónoma na relação com o seu holon adivinhar e conhecer por si mesmo a cronomância  divina. A realização desta condição de autonomia humana, que tem as mais profundas ramificações sociais, políticas e culturais, representa o próximo avanço evolutivo e, certamente, o cumprimento das espécies homo sapiens.
    A partir da perspectiva 12:60, o tempo, como construção mental, é um sistema de termos sequenciais para determinar as relações que qualquer evento tem com um “passado” ou “futuro” arbitrariamente concebido. Nesta concepção, o tempo é um modelo linear, o produto auto-reforçador de uma atitude mental estritamente determinista, profundamente condicionada por uma crença dualista no absoluto da vida e da morte. A cronologia, é pouco mais do que um processo de fecho de eventos, numa escala arbitrariamente concebida de relacionamentos sequenciais. Nesta construção mental, o que se foi está morto e o que está por vir é desconhecido. A previsão tem validade, na medida em que se baseia em dados conhecidos derivados dos limites estreitos desta percepção mental linear e sequencial. Por esta razão, a previsão de 12:60 é pouco mais do que a tendência de projectar versões aceleradas de si mesmo por termos de progressão geométrica num futuro cada vez mais lotado por mais “soluções” tecnológicas.
    Em contraste, a cronomância funciona a partir de uma percepção mental da Quarta Dimensão superior, na qual o tempo é conhecido e experimentado como uma matriz radial: um sistema auto-existente de razões que regem os ritmos da matéria viva, bem como de todos os corpos celestes, estrelas, galáxias e planetas, em relação a si mesmos e entre si. Como é demonstrado pelo corpo do planeta Terra na sua rotação em torno do seu próprio eixo e da sua órbita em torno de sua estrela local, o tempo está na natureza de um vórtice cíclico. Neste vórtice cíclico existem sequências repetitivas ou giros de dias ou Kins. Descrever os giros dos dias ou Kins como linear vai totalmente contra a rotação intrínseca e o poder de rotação do planeta. Neste vórtice cíclico (uma rotação galáctica), há uma série constante de acontecimentos informativos que torna cada dia diferente de qualquer outro, e ainda dotando cada dia de qualidades semelhantes aos outros dias da mesma série de giros. Uma vez que a rotação do vórtice cíclico é de natureza fractal e holográfica, o sistema de “acontecimentos do tempo”, embora fixo e padronizado, não é determinista, mas contém níveis infinitos de informações acessíveis.
    Disto, resulta a existência de procedimentos cronomânticos para adivinhar através do oráculo os diferentes níveis de significado e informação do conjunto fixo de acontecimentos temporais cíclicos, a fim de estabelecer níveis cada vez maiores de ressonância e harmonia entre a mente humana, seus índices sensoriais e o meio planetário. Se não fosse a descoberta das provas matemáticas e demonstrações da Quarta Dimensão, o tema da cronomância seria apenas uma outra teoria. Em vez disso, com a compreensão e aplicação dos princípios do tempo como Quarta Dimensão, a cronomância será estabelecida e florescerá amplamente, dando nova vida à ciência espacial de Terceira Dimensão que, reconstruída num contexto de sistemas totais, será conhecida como bio-geomância, a ciência e a arte do conhecimento planetário.

[1]
Não confunda esta palavra (= parar, estagnação) com seu parônimo “ecstasy”. (Nota do Autor)

 

Descoberta das Frequências de Sincronização 12:60 – 13:20

I. Critica

Descoberta das Frequências de Sincronização 12:60 – 13:20

pacal votanApós o trabalho pioneiro de Vernadsky, que morreu em 1944, e Teilhard de Chardin, cuja obra foi publicada após sua morte em 1951, vieram as descobertas dos Cinturões de Radiação e ADN em 1953. A partir destes aditamentos ao conhecimento sobre o sistema planetário total o físico Oliver Reiser expandiu o conceito da Noosfera, descrevendo-a como o “Campo PSI Planetário” (1966). Na concepção de Reiser, o campo PSI é mais do que uma capa mental; É um campo mental que é interacivo com o campo eletromagnético da Terra e com o ADN, que é o código que rege o corpo unitário da matéria planetária viva. Em 1969, Buckminster Fuller expandiu o modelo de sistemas do planeta na sua descrição de “A Nave Terra” (1969), e James Lovelock (1982) deu à abordagem de sistemas totais uma torção animista com sua Hipótese Gaia: que os diferentes processos bio-geoquímicos interdependentes do planeta Terra são equivalentes à criação de um organismo vivo, Terra ou Gaia.

A principal contribuição de Fuller para o desenvolvimento da abordagem dos sistemas planetários totais, reside, no entanto, sobre sinergia primitiva do tetraedro. Como estrutura geométrica mais simples, o tetraedro é um dos poucos elos que conectam a geometria do espaço tridimensional com as relações fractais do tempo de Quarta Dimensão.

No desenvolvimento do conceito de Noosfera ou Campo PSI, Vernadsky e Teilhard de Chardin falam ambos de um ponto de transição no qual a Biosfera se transforma em Noosfera ou campo PSI. Compreender o “quando” desta transição crítica aponta para o problema fundamental do tempo, que o próprio Vernadsky, agudamente consciente das limitações das geometrias e matemática do espaço em relação ao tempo e à Quarta Dimensão, se referiu várias vezes nos seus trabalhos posteriores.

Resumindo o trabalho de Teilhard de Chardin e Reiser (eu ainda não estava ciente da contribuição de Vernadsky) em “Earth Ascending” (Terra em Ascensão) (1984), ampliei a noção de Noosfera ou Campo PSI para a de “Banco PSI“. Como uma função da bainha mental planetária, o Banco PSI é descrito em termos de sua capacidade de geração de memória e armazenamento. Como tal, está intimamente ligado a uma frequência de temporização planetária ou factor de sincronização evolutiva. Conectado com a percepção de um sistema total do planeta, a hipótese de Rupert Sheldrake sobre os campos morfogenéticos como um factor formalmente causador na evolução, auto-regulação e mutação do corpo vivo da biosfera.

Antes da transição da Biosfera para a Noosfera, o Banco PSI é inconsciente. Após esta transição torna-se consciente, correspondendo à planetização da humanidade de Teilhard de Chardin. Assim, eu admiti a hipótese com Teilhard de Chardin e W. Vernadsky que este ponto de transição, que é também um momento evolutivo, foi iminente. Incorporadas numa descrição de armazenamento expandido e qualidades geradoras de memória do Banco PSI que contabilizam as suas capacidades de temporização estão as fórmulas matemáticas que descobri, relacionando o código genético de 64 unidades (também formulado como o I Ching ou Livro de Mudanças) com o Tzolkin ou o código de Calendário Maya de 260 unidades. Deste modo, a interpretação consensual euro-americana quebrou, resultando numa descrição ainda mais universal do campo mental do planeta.

A questão do ponto de transição biosférico-noosférico e das frequências planetárias do tempo foi abordada novamente no Factor Maya (1987), que identificou uma mudança no Banco PSI planetário da Noosfera ocorrendo precisamente em 16/17 de agosto de 1987.  Popularmente conhecido como Convergência Harmónica, este evento globalmente observado, foi a prova de que a minha hipótese possuía um certo grau de precisão. A hipótese era a seguinte: o sistema de calendários Maya descreve uma frequência de tempo activada galacticamente, cujas normas são definidas pelo único sistema matemático Maya de base 20:13.

Mesmo que a Convergência Harmónica fosse apenas a imaginação popular imaginando, por que se tornou popular uma idéia tão abstracta precisamente nesse momento exacto? A minha hipótese é que a Convergência Harmónica foi bem sucedida porque este momento deu-se no inconsciente colectivo, o despertar de uma verdade profética codificada no sistema “Contagem Longa”‘ da matemática Maya. Por isso, fui levado a compreender a natureza plena deste sistema matemático único e o seu poder de possuir verdades proféticas dentro de suas estruturas matemáticas.

Esta hipótese postula ainda que, a partir dessas datas, em 1987, a biosfera planetária entraria numa zona de transição de 26 anos cujos efeitos seriam evidentes em mudanças sociais e ambientais.

Um outro aspecto desta hipótese é que a frequência de tempo que actualmente regula o Banco PSI mudaria e que, o que antes era inconsciente tornar-se-ia consciente, ou seja, a manifestação do próprio Banco PSI. De acordo com esta hipótese, esta mudança implica o fim de um ciclo inteiro da história humana. Acabando o campo mental colectivo dominado pela ciência do espaço tridimensional, com todos os seus entraves entrópicos e manifestações sociais, em que, simultaneamente, haveria uma entrada para uma fase governada por uma ciência genuinamente da Quarta Dimensão do tempo. Com essa conquista evolutiva virá a possibilidade de acabar com a actual alienação da natureza, substituída, em vez disso por um retorno a um campo mental caracterizado como uma síntese da ordem humana e natural, a planetização da humanidade e a realização do todo planetário.

Após o teste da minha hipótese, a Convergência Harmônica, voltei minha atenção para uma compreensão definitiva dos códigos matemáticos subjacentes ao calendário Maya. Em 1989 minha parceira Lloydine e eu descobrimos as frequências 12:60-13:20. Esta descoberta é uma contribuição genuinamente nova para a compreensão humana. Com isto, conseguimos transcrever os códigos Mayas para uma forma de trabalho real e um conjunto de provas matemáticas e demonstrações intituladas “Encantamento do Sonho, Viagem da Nave do Tempo Terra 2013″ (1991), (Dreamspell, The Journey of Timeship Earth 2013).

A essência da descoberta da frequência de sincronismo é simples. O 12:60 refere-se a uma ordem de tempo inconscientemente aceite, que é de natureza artificial. Doze refere-se à codificação do tempo diário num calendário irregular e arbitrário de 12 meses. Originário da Babilónia, a forma histórica final do sistema de 12 meses foi instituída em 1583 pelo Vaticano como o calendário Gregoriano, que agora é aceite como padrão usado em todo o mundo. Sessenta refere-se à divisão igualmente arbitrária do dia em 24 (2 x 12) horas de 60 minutos cada. O resultado do 12:60 é uma ciência tridimensional da imigração e criação de uma frequência de tempo, cujo campo mental de consciência é dominado pela mecanização. A aceitação inconsciente desta frequência de tempo de 12:60 é o mais simples factor contribuinte para o problema da alienação da natureza humana.

A descoberta de frequência do tempo demonstra ainda mais que a divisão do ano solar em 12 períodos ou meses é uma divisão arbitrária baseada em divisões do círculo, uma construção da geometria do espaço, em 12 partes de 30 graus ou dias cada. Desde o início, o fluxo de civilização originário da Mesopotâmia estava enraizado no espaço e que via o tempo apenas como uma medida do espaço. Os antecedentes do calendário Gregoriano encontram sua origem no Egito e na Babilônia, aproximadamente 3000 AC, altura em que surgiu a geometria espacial do círculo. O momento desta ocorrência no antigo Médio Oriente corresponde aproximadamente à frequência de tempo Maya, que descreve um “ciclo excelente” de 5126 anos a partir de 3113 AC e que termina em 2013 DC.

Somente em contraste, a partir da nossa investigação dos códigos matemáticos do Calendário Maya, fomos capazes de descobrir a frequência de tempo 13:20. Esta frequência não se baseia numa geometria do espaço, mas numa verdadeira compreensão do tempo como Quarta Dimensão. Eis aqui, finalmente, a demonstração de uma matemática da Quarta Dimensão baseada no 13 em vez de 12 e operando preferencialmente nas mais sofisticadas matemáticas vigesimais do que na matemática decimal.

Na frequência de 13:20, que é uma frequência de tempo galáctica natural, 13 refere-se a uma “cosmologia recapitulativa de tom 13” incorporada numa forma que conhecemos como Onda Encantada. É importante ter em mente que a terminologia da Quarta Dimensão é nova, mas não é difícil de compreender. Na verdade, a ordem matemática da Quarta Dimensão é bem mais simples e ainda mais abrangente do que a da Terceira Dimensão. O 20 refere-se a um código de frequência incorporado na ordem de permutação de 4 x 5 ou no próprio sistema de notação, também conhecido como código 0-19. As 20 unidades deste código também são traduzidas numa linguagem icónica colorida constituída  por 20 símbolos ou selos solares.

Inerente à Onda Encantada de 13 Tons há um calendário perfeito de 13 Luas ou meses de 28 Dias cada. 13 x 28 dá 364 dias, estando o 365º dia  o “fora do tempo”, e designado por dia verde, Dia Fora do Tempo. Este calendário científico e matematicamente perfeito destina-se a substituir o calendário Gregoriano irregular de 12 meses. Como os calendários Gregoriano e de 13 Luas actuam anualmente com 52 semanas de sete dias por ano (364 dias), o Calendário da Onda Encantada de 13 Luas proporciona à humanidade, uma ferramenta de transição diária perfeita, para passar da frequência de tempo tridimensional que hoje a domina, para a frequência do tempo quadrimensional 13:20.

Não posso enfatizar suficientemente o quão crítico é para a humanidade substituir imediatamente o calendário irregular de 12 meses pelo o calendário perfeito de 13 Luas. O acto físico de substituir um calendário por outro tem o potencial de unir a consciência humana num momento de determinação singular que, por si só, fará com que o próximo ponto de mudança ajude a Biosfera na sua transição para a Noosfera, e a manifestação consciente aproximada do Banco PSI. Este acto colocaria a humanidade na nova frequência de tempo de 13:20, e será um acto cujas consequências, que partindo da vantagem do nosso actual ponto de vista, são quase inconcebíveis.

Tal é, em suma, o contexto sobre o estabelecimento dos princípios matemáticos do tempo e da Quarta Dimensão, princípios que são totalmente separados da ciência do espaço-matéria de Terceira Dimensão e que representam a solução para a crise da civilização humana e do pensamento científico.

Scroll to top