tags

4: O Que é o Tempo?

Parar o Tempo: O que é o Tempo?

O Tempo é um rio. Não consegues entrar no mesmo sítio duas vezes.

O Tempo é uma maneira que Deus encontrou para que tudo não acontecesse ao mesmo tempo.

O Tempo cura todas as feridas.

O Tempo passado é uma memória. O Tempo futuro é um sonho. A única realidade é o aqui e o agora.

Se só existe o aqui e agora, então, isso significa que não existe tempo?

Estou com algum tempo em mãos.

Vamos matar algum tempo.

Eu estou a fazer tempo.

Sim, existem tantas expressões populares acerca do tempo. Mas quem realmente sabe o que é o tempo? Não podes vê-lo, tocá-lo, prová-lo ou senti-lo. Mas podes sentir que está acontecendo, ou não. O tempo ás vezes é lento, e outras vezes rápido. Seja o que for, sabemos que algo se passa. Será que estamos a ser puxados implacavelmente para o nosso fim? E o que estará nos puxando – será o tempo?

Existem todas estas experiências de tempo a que chamamos de experiências subjectivas. O sentido do tempo que sentimos dentro de nós.

E depois existe o tempo do dia, do sol, da lua e das estrelas. E o tempo das estações do ano. O que é que isto tem a ver com as experiências subjectivas que temos do tempo? Claro que, quanto mais vivermos nas cidades, menor é a nossa atenção, menos nos apercebemos do nascer e pôr-do-sol, as fases da lua, as rotações das constelações no céu.

Quando é que foi a ultima vez que viste o nascer do sol? E o pôr-do-sol? O sol é uma coisa óbvia, ou assim pensamos. Será que já te apercebeste mesmo que o sol não nasce ou põe-se, mas que é a Terra que está rodando no seu eixo em relação ao Sol e que portanto cria este efeito do amanhecer do sol e do pôr-do-sol? O que é o “Ano” realmente?

E a Lua. Quando é que foi a ultima vez que viste o nascer da Lua? Quando é que foi a ultima vez que viste uma Lua cheia? Sabes onde e a que horas deves olhar para o céu para ver uma Lua Nova? Achas que és afectado pelas fases da Lua? Sabes quanto tempo demora a Lua para dar uma volta inteira à terra?

E as estrelas no céu? Sabes nomear alguma? Sabes onde achar uma delas? Sabes como reconhecer a Ursa Maior? Sabes onde encontrar a estrela Arcturus? Ou Sirius? E reconhecer o Plêiades? Ou os Planetas – Sabes onde estes poderão estar no céu?

Se não souberes responder a alguma destas perguntas, achas que realmente importa se experimentaste o sol, a lua, as estrelas? Achas que vivendo num meio ambiente tão artificial onde existe cada vez menos contacto com o sol, lua e as estrelas, é bom ou mau para ti?

O movimento e padrões do sol, lua e as estrelas têm tudo a ver com o que chamamos de Tempo Natural. O Tempo Natural é o tempo da natureza, do sistema solar, da galáxia, do universo – do cosmos em si. Será que existem padrões cósmicos do tempo, e se há, como reconhecê-los? Se já tiveste a oportunidade de passar algum tempo num lugar selvagem, reparaste que os pássaros ou animais são governados pela noite e dia, pelo nascer do sol e pôr-do-sol, assim como a mudança de estações? E o teu corpo – consideras que faz parte da natureza, da maneira como os pássaros, árvores e animais fazem? Sem ter que pensar demasiadamente neste assunto, parece óbvio que existe realmente uma diferença entre o tempo das cidades e o tempo da natureza. Qual é, esta diferença?

Será possível haver tempo artificial e tempo natural? Se és um habitante urbano, o teu tempo não é governado pelo sol, lua e estrelas. É governado por um calendário e um relógio. Desde que saibas qual é o dia da semana e as horas, não precisas realmente saber quando é que o sol nasce ou põe-se ou qual é a fase da lua.

Já reparaste, também, que não há um escritório ou uma escola, que não tenha um calendário ou um relógio na parede? O teu computador tem um relógio. O e-mail que recebes vem sempre com o mês, dia e horas que foi recebido ou enviado. Não importa onde vás, não consegues escapar do relógio. Está em todo o lado. E até muito provavelmente usas um relógio, quando também tens um ao lado da cama e até ao lado do forno da cozinha.

Toda a civilização moderna está absolutamente dependente do relógio, enquanto os teus dias são contados por um calendário de 12 meses pendurado na parede. Ou na tua agenda diária ou electrónica. E se viajas de avião, as revistas a bordo estão cheias de publicidade, praticamente em todas as páginas, existe um anúncio de um relógio. Estamos obcecados pelo tempo do relógio? Porquê? O que é que o tempo do relógio tem de diferente do tempo natural? Que efeitos o tempo do relógio e a agenda diária tem na tua mente e estilo de vida?

Claro que só estamos falando acerca das experiências comuns do tempo no nosso dia-a-dia, porque se juntasses um grupo de físicos, biólogos e astrónomos e perguntasses acerca do tempo, a discussão além de ficar aquecida não teria fim.

Os biólogos falariam acerca dos relógios internos e ritmos circadianos.

Os físicos falariam de qualquer coisa desde “flecha do tempo” até à ideia que o tempo é uma ilusão, um suporte psicológico ou uma mera experiência de duração. Uns até poderiam falar de uma quarta dimensão, e outros ponderar sobre o espaço métrico e tempo.

Os astrónomos falariam do tempo em relação como a evolução das estrelas, e os físicos quânticos falariam das partículas que saltam o tempo. Se um parapsicólogo estivesse presente, provavelmente comentava o tempo pré-cognitivo.

Uma coisa é certa. Dentro de um grupo tão avançado de investigadores haveria pouca unanimidade de opiniões.

Seria académico considerar todas as definições de tempo. O que é importante é a tua experiência de tempo, e o facto de estarmos todos a viver num tempo muito estranho e difícil. Porquê assim? Será que temos que estar consignados para sempre a viver num tempo difícil? Como é que se sai disto? Como é que chegamos a um novo tempo?

Talvez o tempo seja mais importante para ti do que originalmente pensavas. Talvez o tempo seja um instrumento de consciência que pode ajudar-te a vencer os sentimentos de abandono, desamparo, aborrecimento, falta de motivação e stress. Talvez precises de saber acerca do tempo para poderes sobreviver espiritualmente.

3: A Visão

Parar o Tempo: A Visão

Qual é esta visão que me susteve toda a minha vida?

Quando eu tinha 14 anos tive a oportunidade de visitar um templo no México. No topo de uma pirâmide antiga eu olhei à minha volta. E pensei. Como é que esta pirâmide e cidade antiga poderiam ter sido construídas com formas tão cósmicas e tão perfeitas, sem a utilização de nenhuma tecnologia que temos nos dias de hoje? Que diferença era a sabedoria desses dias para os dias de hoje. Deve ter sido verdadeiramente um tempo diferente do qual estamos hoje. Como é que o tempo pode ser tão diferente? O que é que significa o tempo? Qual é a relação entre o tempo e a sabedoria? Como é que o tempo em que vivemos afecta aquilo que sabemos?

Se eu pudesse aprender essa sabedoria antiga e trazê-la para o mundo de hoje, não poderia ser útil? O mundo desse tempo antigo com as suas formas cósmicas parecia tão – simples. E hoje tudo parecer tão – complicado.

Porque é que um tempo é simples e o outro é complicado? Não desejas que as coisas sejam mais simples? Quer isto dizer voltar atrás no tempo? Podemos voltar atrás no tempo? Podemos pôr o relógio a rodar ao contrário? Ou há alguma maneira de voltar a tornar a vida simples? E o que é este relógio através do qual somos regulados?

O meu sonho, a minha visão, a busca na minha vida nasceu deste questionário em cima daquela pirâmide.

Nunca te perguntaste, talvez quando olhas as estrelas à noite, onde estarás? Que significância poderás ter neste universo tão vasto? Como tu, um filho de Deus, foi parar aqui neste preciso momento do tempo? Porque é que estás a viver este tempo e não outro? Porque é que Deus te queria aqui, agora? Qual é o teu propósito, e como este propósito se relaciona com o tempo? Como é que o tempo pode dar-te o significado da tua vida? O que é o tempo?

Este livro é a resposta da visão que tive há muitos anos atrás. Tenho sido guiado para escrever este livro para que possa partilhar contigo a resposta que encontrei. Tu vieste até este livro porque queres saber. Tens sentido uma insatisfação contigo próprio e com o teu tempo. Tens estado com stress. Ou aborrecido. O Stress e o aborrecimento têm a ver com a natureza do tempo em que vivemos hoje em dia. Não interessa o que façamos, parece que nunca temos tempo para tirar algum aproveitamento ou algum sentido especial nisso. Será que o tempo para Deus realmente significa um daqueles moinhos que outrora se usavam como castigo e que só em alguns períodos nos safamos da tortura e nos pagam? De quem é o tempo que estás a viver, e o que podes fazer em relação a isso?

Eu penso que podes fazer alguma coisa. Eu descobri uma simples maneira de trazer de volta o teu poder através de trazer de volta o teu tempo. É com esforço. Mas também não achaste que se realmente querias mudar, não tinhas que fazer nada para isso, pois não? Não achas que já é tempo de mudar? Não achas que o tempo muda as coisas? Como é que eu posso mudar o tempo? Pois bem, continua a ler e eu vou reflectindo contigo.

2: Este Livro Vai Mudar a Tua Vida Para Sempre

Parar o Tempo: Este livro vai mudar a tua vida para sempre

O livro que vais começar a ler vai provavelmente mudar a tua vida para sempre. É sobre algo que sem dúvida nunca pensaste, parar o tempo – e depois prosseguir com a segunda criação!

Acredita ou não, está tudo no teu poder. Mas primeiro tens que perceber. Tens que abrir a tua mente. Tens que permitir a entra de um novo conhecimento que alterará as tuas percepções sobre ti mesmo, a tua sociedade, e sobre o tipo de mundo em que vivemos. E o tipo de mundo que podemos criar se entendermos um ponto fundamental – a natureza do tempo e os seus efeitos nas nossas crenças e nu mundo que criámos.

Naturalmente podes pensar – qual o significado de parar o tempo? Como é que se pode parar o tempo? O tempo não está sempre a andar para frente, mais e mais e mais? Sim, mas há diferentes tipos de tempo. Estamos a falar de um tempo antigo e de um tempo novo. Sobre parar o tempo antigo e começar um tempo novo. Estamos a falar de parar o tempo e mudar o calendário.

Pode nunca te ter ocorrido que todo o teu senso de tempo – o tempo do dia-a-dia, o tempo em que vives, dias úteis e fins de semana e todas as férias entretanto, aliás, tudo em que acreditas, é uma função do calendário que segues. Que reivindicação esta! Por isso é que precisas deste livro, para perceberes como e porquê isto acontece, e o que podes fazer acerca disto.

E é claro que uma vez ou outra já tenhas ouvido aquela expressão bíblica “Um
Tempo de Guerra e um Tempo de Paz”, não ouviste? O que é que isto significa? Será possível que o tempo de guerra seja também uma função do calendário – e tempo de paz seja talvez a função de um novo calendário, um calendário da paz e harmonia?

Com isto já tens muito em que pensar. Então, de onde veio esta ideia de parar o tempo e mudar o calendário?

Esta ideia, como todas as ideias genuínas, veio da experiência de um só ser humano. Não que este ser humano fosse o único a ter a ideia de mudar o calendário! Muitas pessoas tiveram essa ideia. E o calendário foi mudado antes. Mas a ideia de parar o tempo mudando o calendário de forma a irmos de um tempo de guerra para um tempo de paz, e depois prosseguir com a segunda criação – esta ideia veio de um sonho e da aspiração de um só ser humano, eu. Sim, e a ideia de que nós, pessoas, podemos fazer isso, parar o tempo e mudar o calendário, essa ideia também é fruto de uma visão guardada durante toda a minha vida. É um sonho que finalmente floresceu, o testamento do poder de guardar uma visão, sem importar onde nos vai levar.

  • Acredita na tua visão, faz dela um todo.

  • Guarda-a como o Navaho.

  • A solene busca da visão do deserto shaman.

Estas linhas poéticas emprestadas do Oráculo de S.Francisco, uma revista dos anos 60, linda mas com uma duração curta de vida, decoraram a minha parede por muitos anos. Elas amadureceram uma visão que eu tive quando tinha 14 anos. Foi preciso muita força, e eu presenciei muita dor esperando e nutrindo esta visão. Muitas pessoas vieram ajudar-me. Algumas sem sabê-lo. Algumas partilharam e sacrificaram as suas vidas comigo de modo a que eu pudesse realizar a minha visão por todo o planeta. Pois a ideia de parar o tempo não é fácil de preenchê-la. Mas agora está pronta. É para ti agora, para que possas preenchê-la, trazê-la de volta, para que possas realizar os teus sonhos mais profundos – uma vida criativa de paz e harmonia.

O tempo heróico de construção positiva, a segunda criação, está nas tuas mãos e no teu tempo de vida. Mas tudo depende em parar o tempo no momento exacto. E o dia da decisão está agora muito perto. Por isso, deixa-me partilhar a minha visão, as perguntas que me provocaram, e o que tudo isto tem a ver comigo.

1: Considera esta Alternativa

Parar o Tempo: Considera esta Alternativa

Agora a Guerra começou. Podes ver que é uma guerra terrível. Nenhuma guerra é melhor, mas esta – esta é a Mãe de todas as guerras. Este é o caminho que a história e a civilização têm que finalmente chegar a um fim. Pode bem ser o fim do tempo – mas tem mesmo que ser o fim do tempo?

Poderá haver um novo começo no Novo Tempo?

Todos aqueles que amam a paz querem fazer alguma coisa. E precisamos de fazer algo de novo. Alguma coisa que faça parar as mortes. Algo que pare a guerra. Alguma coisa simples mas radical. Que tal parar o tempo? Sim. Se pudermos parar o tempo, podemos for um fim ao tempo de guerra. E depois podemos entrar num novo tempo de paz. A escolha é realmente nossa.

É isto que este livro trata. Ajudar-te a fazer esta escolha.

Todos nós queremos realmente a paz. Não a paz através da guerra, ou a paz comprada com dinheiro. Mas a verdadeira paz. E queremos que essa paz dure mais do que um minuto ou até um dia. Queremos paz o tempo todo. Depois da guerra acabar todas as guerras acabam, vamos querer paz para sempre.

Bom, eu sei uma maneira de o fazer, um tanto ilusória mas fundamental. Parar o Tempo. Puxar o tapete debaixo dos pés da vela civilização. Retirar o confuso e velho calendário e substitui-lo com um novo calendário de perfeita harmonia. Pode ser assim tão simples – mas se decidimos fazê-lo, requer um certo compromisso para fazer esta mudança.

Claro, que provavelmente nunca tinhas pensado nisto. Por isso é que te está a ser apresentado agora. É agora o tempo para pensar nisso. É agora a altura para parar o tempo. Olha à tua volta, agora, e considera esta alternativa. Parar o tempo é dar-nos a nós mesmos a oportunidade de fazer uma pausa nos nossos caminhos e depois mudar de direcção, como o comboio mudando de carril. E a nova direcção é a harmonia construtiva, paz criativa e a Segunda Criação.

Sim, pode ser que estejamos num cruzamento e que parar o tempo e mudar de calendário seja a maneira que Deus nos deu de fazer uma escolha. Qual destes quer, Inferno ou Paraíso na Terra? Se considerar que o calendário é um programa que cria um feitiço, deite fora o calendário e quebre o feitiço. Vê o que acontece quando fizeres isso. Uma pequena pancada e o feitiço antigo será quebrado. E um novo calendário de treze meses perfeitos de 28 dias estará lá para lançar um feitiço de paz e harmonia.

Não é tão impossível quanto parece. Lê somente este pequeno livro. Foi feito pequeno, doce e simples só para ti. Parar o tempo pode ser a maior fonte de poder colectivo que a raça humana já alguma vez experimentou. E este exercício de auto-poder só está à espera que tu te juntes a ele. Mas não hesites. Como diz o ditado, o tempo é da essência.

 

Uma nota sobre quem escreveu este livro.

Eu sou Valum Votan. Fui honrado como Aquele Que Encerra o Ciclo, ou seja, o ciclo da história que termina em 2012. Escrevi outros livros com o nome de José Argüelles. Mas esses livros são de um modo geral muito científicos ou técnicos.

A contagem decrescente para 2012 já começou. E não há tempo a perder. Então Aquele Que Encerra o Ciclo teve que tirar o José Argüelles do caminho e tomar posse da escrita.

Espero que aprecies o esforço e que acordes para o verdadeiro significado do tempo. Obrigado pelo teu interesse.

Parar o Tempo

Scroll to top